Início >> Noticia >> Paysandu e Atlético Acreano jogam no Mangueirão
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Paysandu e Atlético Acreano jogam no Mangueirão

Localização

Brasil
BR

Os clubes do Paysandu (PA) e Atlético Acreano (AC) jogam neste sábado (10), às 17 horas, no Estádio Olímpico do Pará/EOP, o Mangueirão, em Belém, em partida válida pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol da Série C. Para o evento foram disponibilizados 35 mil ingressos entre pagantes, gratuidades e sócio-torcedores.

Todos os portões estarão abertos a partir das 15 horas. Para garantir a segurança do público serão mobilizados 400 policiais militares, 61 bombeiros e 20 guardas municipais, além de 256 agentes de segurança privada.

Também participam efetivamente do trabalho e da organização do jogo com o objetivo de assegurar o sucesso do evento, equipes da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran), Secretaria de Estado de Saúde (Sespa), Ministério Público, Polícia Civil, bombeiros civis, a Federação Paraense de Futebol (FPF) representando a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), além da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), responsável pela gestão do Estádio Olímpico do Pará.

A Seel trabalha com uma equipe preparada entre servidores e prestadores de serviço de áreas essenciais atuando antes, durante e após o jogo para assegurar a segurança e o conforto do público que também deve ter atenção e cuidado. "Para evitar qualquer tipo de problema, o torcedor deve procurar chegar cedo ao estádio e estar atento ao seu portão de entrada, descrito no ingresso, evitando, assim o sufoco de chegar em cima da hora. Quem também deve ficar bastante atento é o torcedor que está acompanhado de menores de idade e de pessoas com deficiência, que em uma área com multidão, exigem maior atenção", ressalta Elber Maia, coordenador de Segurança do EOP.

A equipe de arbitragem é composta pelo árbitro Emerson Ricardo de Almeida Andrade e pelos assistentes José Carlos Oliveira dos Santos e Marcos Welb Rocha de Amorim, todos da Bahia.

 

imagem: