Início >> Noticia >> Novo ordenamento no Mangueirão é aprovado por torcedores e ambulantes
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Novo ordenamento no Mangueirão é aprovado por torcedores e ambulantes

Localização

Brasil
BR

A Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) realizou neste domingo, 1º, a Operação Mangueirão, durante o primeiro jogo da final entre Remo e Paysandu, válido pelo Campeonato Paraense de Futebol. A operação consiste, principalmente, no ordenamento de vendedores ambulantes em áreas delimitadas no espaço externo do Estádio Olímpico, a proibição de estacionamento de veículos no anel viário do Mangueirão e a não permissão para a montagem de barracas de qualquer tipo por torcedores. A operação durou 12 horas, tendo início às 8h e término às 20h. No total, 1.600 agentes da segurança pública do estado participaram da operação.

As medidas são fruto de um trabalho conjunto que tem como prioridade a acomodação do público para assistir ao espetáculo de futebol. Com vendedores ambulantes e veículos estacionados em seus devidos lugares, o trânsito fluiu normalmente e a chegada ao estádio se manteve segura e sem demora.

Daniel Leite é analista de sistemas e aprovou a iniciativa. “Na parte dos veículos melhorou bastante. No último Re x Pa eu levei mais de duas horas para chegar ao Mangueirão e estacionar, hoje eu levei menos de meia hora”, avaliou.

Ana Lúcia Monteiro participa de todos os jogos do Remo e sempre reencontra amigos para assistir a partida. Para ela a novidade, como qualquer outra, requer costume. “Nós já estávamos acostumados a nos encontrar sempre no mesmo lugar, mas tudo é o costume. Hoje é o primeiro dia, nos próximos a pessoa vai se acostumando. Tudo está sendo feito pra melhorar, então vamos colaborar”, pontuou.

As áreas delimitadas para vendedores ambulantes foram definidas em conjunto com a Associação dos Vendedores Ambulantes Internos e Externos do Mangueirão, sendo que foi determinada a acomodação de 100 ambulantes do lado do Remo e 100 do lado do Paysandu. A novidade é válida para todos os jogos que serão realizados no Mangueirão.

Miscilene Furtado trabalha há mais de 20 anos como vendedora ambulante no Mangueirão. Ela soube das mudanças para o clássico no dia anterior, chegou cedo, conseguiu um lugar estratégico para a venda e gostou da nova forma de trabalho.

“Está bem organizado, os vendedores cadastrados estão direitinho, não vai ter gente de fora, como os que nunca foram cadastrados, que não pagam a associação. Eu gostei bastante porque organizou bem os ambulantes e não teve confusão. Se todos os jogos forem assim vai ficar muito bom”.

A avaliação final deste primeiro dia de operação, de acordo com o secretário adjunto de Gestão Operacional da Segup, coronel André Cunha, é satisfatória. “Os resultados foram além do esperado. Com medidas certas conseguimos criar um ambiente maior de ordenamento e tudo fluiu melhor. Um exemplo concreto é que uma hora após o apito final o estacionamento já estava 90% evacuado. O público em geral, de ambos os lados, adorou as medidas, salvo aquelas pessoas que tinham o costume, mas que receberam a proibição em prol da coletividade e da ordem pública”, afirmou.

Uma reunião será realizada com todo o efetivo que atuou na operação para avaliação e verificação de medidas que podem ser aprimoradas. Participaram da operação, agentes do Departamento de Trânsito (Detran), Guarda Municipal de Belém (GMB), Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros, Secretaria de Economia do Município de Belém (Secom), Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e Associação dos Ambulantes internos e externos do Mangueirão.

Remo vence por 2 x 1 o primeiro jogo da final do Campeonato Paraense

O Clube do Remo venceu o clássico do Domingo de Páscoa e fica mais perto do título do Banparazão 2018. Os azulinos venceram por 2 a 1, com gols de Isac, de pênalti no primeiro tempo, e Rodriguinho, no segundo tempo de jogo. O Paysandu marcou com Cassiano, de pênalti, aos 43 do primeiro tempo. Um público de 19.019, sendo 16.019 pagantes, acompanhou a partida no Estádio Olímpico do Pará – Mangueirão.

Este foi o terceiro clássico de 2018 e também de vitória azulina. O Remo venceu os dois primeiros jogos por 2 a 1 e 1 a 0, respectivamente. A terceira derrota fez com que alguns torcedores do Paysandu realizassem protesto na saída dos jogadores do estádio.

A partida final será no próximo domingo, 8, também no Estádio Olímpico do Pará, às 16 horas. Sobre o jogo deste Domingo de Páscoa, a coordenação considerou tranquilo. Segundo o coronel André Cunha, secretário ajunto da Secretaria de Segurança do Estado e comandante da operação de segurança, não foram registrados problemas no acesso das torcidas.

Em campo, Remo e Paysandu disputaram lance a lance a partida. O primeiro gol saiu aos 29 minutos com o atacante Isac, do Clube do Remo, cobrando penalidade máxima. O Paysandu empatou com Cassiano, aos 43, também no primeiro, cobrando pênalti.

No segundo tempo, o Remo fez o segundo gol com Rodriguinho, aos 33 minutos, num chute de fora da área e pegando o goleiro Marcão de surpresa e ampliando o placar. Com esse resultado, o Remo larga na frente na disputa do Campeonato Paraense 2018. A taça que será entregue ao campeão foi exibida pela Federação Paraense de Futebol (FPF) neste domingo, 1.

O público ficou abaixo do esperado, devido o feriadão da Semana Santa. Foram disponibilizados 35 mil ingressos, mas somente 19.019 pessoas compareceram ao Mangueirão, que no mês de março passado completou 40 anos de atividades. O árbitro Raphael Claus comandou a partida.

A expectativa dos torcedores era para um jogo equilibrado, considerando a campanha dos clubes. O Paysandu, além do Banparazão, ainda está na disputa da Copa Verde e conseguiu boa vitória no jogo realizado em Belém contra o Manaus, vencendo por 2 a 1. Do lado remista, os ânimos se acenderam quando os azulinos venceram o São Raimundo, de Santarém, por 2 a 0 e conseguiram a classificação à semi-final do Banparazão.

O Paysandu é o atual bicampeão do Parazão e tenta o tricampeonato, já o Remo quer quebrar o jejum de dois anos sem vencer a competição. Para quem veio assistir o jogo, a operação da PM foi o destaque. O casal remista Aline Pereira e Fernando Penha, disse que chegar cedo é a melhor receita para não passar sufoco no trânsito. “Saímos cedo de casa e conseguimos chegar com calma para assistir o clássico”, disseram.

Outro casal, desta vez bicolor, também elogiou o esquema. Eles moram no bairro do Marco e chegaram ao Mangueirão em apenas vinte minutos. “Foi rápido e não tivemos problemas”, disse Rafael Nogueira, que trazia no colo o pequeno Pedro.

Mangueirão

Para deixar o estádio em condições adequadas para o terceiro clássico do ano, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) investiu nos reparos das instalações elétricas e hidráulicas, além de cuidado especial com o gramado, que apesar do inverno rigoroso com fortes chuvas, tem suportado a movimentação e a rotina de jogos do Campeonato Paraense 2018.

A diretora Cláudia Moura, disse na tarde deste domingo, 1, que a Seel tem se empenhado em atender as recomendações das autoridades policiais, da Vigilância Sanitária, Juizado de Infância e Juventude e Corpo de Bombeiros. Na área da saúde, o Mangueirão conta com dois ambulatórios, duas ambulâncias e equipe completa de médicos e auxiliares. Até o final do primeiro tempo não havia registros de incidente grave.

A Seel também festejou neste domingo, o aniversário de 40 anos do Mangueirão. O estádio foi inaugurado em 3 de março de 1978 e reinaugurado, já como Estádio Olímpico do Pará – jornalista Edgar Proença, em 1 de maio de 2002.  “O Mangueirão é uma das maiores praças esportivas do Brasil e nós temos muito orgulho em mantê-lo em condições de uso por milhares de pessoas”, disse a diretora Cláudia Moura.

Por Cléo Soares

imagem: