Início >> Noticia >> Com apoio da Seel, atletismo paraense celebra conquistas neste 9 de outubro
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Com apoio da Seel, atletismo paraense celebra conquistas neste 9 de outubro

Localização

Brasil
BR

Aos 10 anos, Sammyle Barros, treina três dias na semana na pista de atletismo do Estádio Olímpico do Pará/EOP, o Mangueirão, e tem como orgulho o feito de ser quatro vezes campeã da Corridinha do Círio. Em setembro, a pequena corredora conquistou, pelo segundo ano consecutivo, a medalha de ouro na prova dos 60m rasos, categoria Infantil, no Campeonato Estadual de Atletismo, maior evento da modalidade na região. Na mesma competição, Eduardo Silva, 29 anos, levou medalha de ouro na prova dos 1500m e na de 800m. Ambos fazem parte do Projeto de Atletismo desenvolvido no Mangueirão pela ex-atleta Suzete Montalvão com o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

Considerado como o esporte-base, por desenvolver as habilidades naturais dos seres humanos, como corrida, saltos e lançamentos, o atletismo, é comemorado nesta quarta-feira (09) como forma de homenagear àqueles que se dedicam a uma das modalidades mais antigas do mundo.

“Essa é uma data importante para o esporte. Hoje, no estado, temos várias competições de atletismo e muitos atletas têm se destacado na modalidade. E esses atletas estão representando muito bem o Pará lá fora, mostrando o nosso potencial esportivo”, ressaltou o diretor técnico de Esporte e Lazer da Seel, Erivelto Pastana.

No segundo semestre deste ano, o Estádio Olímpico do Pará recebeu os Jogos Paralímpicos Escolares, em agosto e em setembro, o Campeonato Estadual de Atletismo e os Jogos Estudantis Paraenses. Eventos nacionais e internacionais já foram realizados na praça esportiva como o Grand Prix de Atletismo.

O primeiro registro de competições esportivas data de 776 a.C, em Olímpia, Grécia. O Atletismo era o único esporte praticado, sendo disputada uma corrida de aproximadamente 200 metros denominada de “stadium”. Tempos depois, outras modalidades foram surgindo, como por exemplo, o salto em distância e o lançamento de disco. Esses eventos deram origem às Olimpíadas, que acontecem até os dias atuais a cada quatro anos.

A prática do Atletismo no Brasil começou por volta de 1850 e, segundo a Confederação Brasileira de Atletismo, provavelmente foi trazida pelos marinheiros ingleses. Apesar de ser uma prática antiga, apenas nos Jogos de Paris, em 1924, o Brasil criou a sua primeira equipe de Atletismo olímpica.

A modalidade também é utilizada como uma estratégia de inclusão social e para Tatiana, mãe de Sammyle, o esporte é um aprendizado para a vida. “A gente educa também através do esporte, com disciplina, responsabilidade, pontualidade e saber vencer e perder. Por isso, incentivamos para o atletismo.”, pontuou Tatiana.

Atualmente o Atletismo pode ser classificado em: provas de pista (corridas rasas, de revezamento, com barreiras e com obstáculos); de campo (salto em distância, salto com vara, arremesso de peso, lançamento de dardo e disco, entre outras; combinadas (decatlo e heptatlo); Pedestrianismo (corridas de rua); Marcha atlética (longas distâncias); Corridas em campo (cross country, com obstáculos naturais); Corridas em montanhas (com percurso similar às corridas em campo, mas também envolve um grande número de subidas).

"Pais e participantes deste projeto de atletismo garantem que a cessão do espaço para o treinamento de crianças e jovens é fundamental para estas importantes conquistas, isto nos motiva a continuar apoiando o esporte amador e de resultado. Parabéns a todos do Atletismo.", enfatiza Adélio Mendes, diretor do EOP.

Por meio do Programa Bolsa Talento, gerenciado pela Seel, Eduardo Silva e mais sete representantes do atletismo são contemplados com apoio financeiro, como forma de contribuir para o incentivo à prática desta modalidade.

O Programa Bolsa Talento foi criado pela Lei 7.119, de 31 de março de 2008 pelo Governo do Estado do Pará como forma de estimular o desenvolvimento físico, social e psicológico de atletas contemplados em modalidades olímpicas, paralímpicas e amadoras. A partir do projeto foi possível manter e aumentar o número de atletas que representam o Pará em competições regional, nacional e internacional.

 

 

imagem: