Início » Noticia » Acolhidos no Mangueirão recebem a doação de mil máscaras de tecido
  • Increase
  • Decrease

Current Size: 100%

Acolhidos no Mangueirão recebem a doação de mil máscaras de tecido

Localização

Brasil
BR

O Estádio Olímpico do Pará/EOP, o Mangueirão, recebeu nesta segunda-feira (08) a doação de mil máscaras de tecido e de 195 face shields como forma de contribuir para as medidas preventivas de combate à pandemia de covid-19 causada pelo novo coronavírus. Os acessórios de proteção são destinados aos acolhidos na praça esportiva e aos profissionais que estão trabalhando na linha de frente da crise sanitária.

“No nosso dia a dia vai ajudar na proteção contra covid-19, pois é de grande utilidade neste período. Esse trabalho é muito interessante, pois além se der uma atividade social e necessária, é uma alavanca de divulgação para esta ação dos acadêmicos de ajuda aos empreendedores sociais e de proteção ao meio ambiente”, ressaltou o assistente administrativo da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Lairson Faro.

As máscaras de tecido e as face shields - que são máscaras antirrespingos que ajudam a prevenir a transmissão de doenças contagiosas – foram doadas pelos projetos Anamam e Costuraê que são desenvolvidos pela Enactus, organização sem fins lucrativos, formada por acadêmicos da Universidade Federal do Pará (UFPa).

A estudante de Direito, Carla Matrigiani, líder do Costuraê, explica que as máscaras são de Tricoline e forro de tnt, produzidas por 14 mulheres do bairro do Guamá, em um atelier montada em uma sala da Escola Estadual Ruth Rosita. “O objetivo do Costuraê é empoderar mulheres em vulnerabilidade socioeconômica e neste período estão confeccionando as máscaras que lhes garante uma remuneração”.

Já as face shields, foram produzidas pelo projeto Anaman, que trabalha com a questão do lixo em rios do município de Belém e passou a produzir em razão da crise sanitária a partir de garrafas pet e pelo projeto Minerva, também da UFPa, no qual mulheres que trabalhavam com serviços de reparo neste período estão se dedicando à confecção de face shields.

 “Já fizemos doações de 100 máscaras e de 100 face shields paras famílias ribeirinhas da ilha do Combu, das Onças e do maracujá; de 300 máscaras e de 20 face Shields para o Preventório Santa Terezinha; e de 700 máscaras para a Escola Ruth Rosita”, disse Wanderson Silva, estudante de Publicidade e Propaganda e vice-presidente da Enactus.

A doação foi entregue pelo presidente da Organização, Orlando Haber, que é estudante de Jornalismo e recebida pelo diretor do EOP, Adélio Mendes, gerente do Estádio, Raimundo Feliz e pelos coordenadores da Secretaria de Estado de Assistência Social, Trabalho, Emprego e Renda (Seaster) Maria Paula Vieira e Tadeu Lobato.

Atualmente, estão abrigados no Mangueirão 230 moradores em situação de rua, mas este número já chegou a 700 pessoas que, através do acolhimento do governo estadual, puderam contar com acompanhamento médico e social.  

“Estamos há 78 dias com a quarentena no Estádio Olímpico do Pará e a ajuda da sociedade civil foi essencial para trabalharmos de modo duradouro, apesar do risco eminente. Sempre que a administração pública e a sociedade se unem conseguimos bons resultados”, enfatizou Adélio Mendes.

 

 

 

imagem: