Vitória em maratona embala paraense para Brasileiro de Canoagem Oceânica

Após vitória na 17ª Maratona do Sairé, disputada em Santarém no último dia 17, a canoísta paraense Lorena Jacob se prepara com fôlego renovado para a disputa do Campeonato Brasileiro de Canoagem Oceânica. A última e decisiva etapa da competição será realizada no dia 12 de novembro, em Ilha Bela, no litoral norte de São Paulo. Lorena vai competir na categoria Dupla Mista, junto com o canoísta Patrick Amaral, de Santarém. Segunda colocada no ranking nacional de duplas, Lorena Jacob compete com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

A quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Canoagem Oceânica vai definir o campeão nacional e vale vaga para provas internacionais que serão disputadas em 2017. Este ano, Lorena Jacob participou de todas as etapas do Campeonato Brasileiro, além da Copa Brasil e provas do Colégio Naval. “Estou batalhando para ser campeã brasileira. Este é o meu principal objetivo na temporada e para isso tenho me preparado com todos os treinamentos e competições que tenho participado”, diz Lorena.

A canoísta afirma que o apoio da Seel tem sido fundamental para a sua carreira: “A Seel vem me ajudando com apoio logístico, com passagens, alimentação, hospedagem, ajuda de custo em treinos. Isso vem melhorando e muito a minha atuação como atleta, porque você acaba tendo este suporte de fato, toda uma condição para desenvolver sua atividade esportiva. Inclusive, nessa prova em Santarém, a Seel deu muito suporte para quem competiu. Foi um apoio muito grande de barco, hidratação, tudo o que é necessário para o atleta em uma competição como essa.”

Psicóloga, Lorena já tem cinco anos de carreira na canoagem, treina de segunda a sexta-feira por uma hora e meia e, nos fins de semana, por duas horas. “Quando eu procurei a canoagem, eu buscava um esporte terapêutico que me fizesse bem, para sair daquele ritmo de academia e entrar em contato com a natureza. Eu conheci a canoagem e me apaixonei por este esporte. Quando comecei a participar das competições locais, passei a me encantar ainda mais. Assim, para mim virou não só um esporte de lazer, agora é mais para competir. Neste ano de 2016, com todo esse apoio que passei a receber, pude sair para competições e mostrar a canoagem de verdade.”

E os resultados positivos têm deixado a canoísta otimista para novas conquistas. Para ela, a vitória em uma prova muito disputada e de alto nível de dificuldade como a Maratona do Sairé foi um marco em sua carreira. Nesta competição, ela foi a primeira colocada na prova de canoagem oceânica na categoria Duplo Misto, em parceria com o canoísta Hiel Gesã, de Santarém. A prova teve percurso de 37 quilômetros, com saída de Santarém até Alter do Chão e a dupla garantiu o título ao concluir a prova com o tempo de 3 horas e 46 minutos. “É uma prova bem difícil por ser uma maratona, tem duração muito grande e o sol é muito forte lá. Como o rio Tapajós estava bastante mexido, houve muita a interferência da maré na prova. Com o vento forte e a maré contra, o nível de dificuldade e o desgaste foram grandes”, revela a canoísta.