Triatleta Danilo Pimentel espera índice olímpico dia 23

O triatleta paraense Danilo Pimentel não conseguiu índice olímpico direto e vai ter que esperar até o dia 23 deste mês para saber se disputará as Olimpíadas do Rio de Janeiro. A última etapa válida pelo ranking olímpico foi realizada no Japão, durante o último final de semana. O paraense acabou em 32º lugar. Por e-mail, Danilo Pimentel conta como está sendo esse momento delicado da sua carreira esportiva. “Foram dois anos desde maio de 2014 até maio de 2016 de preparação, um período longo que apresentou muitas surpresas na reta final e muito aprendizado”, disse ele, ao site da Seel, na manhã desta segunda-feira, 16. 

Continuando com as informações, Danilo disse o seguinte: “Acabei a prova em 32º lugar, uma prova alucinante com o mar muito mexido e praticamente todos os atletas saíram num só grupo, e após duas voltas, alguns abandonaram o circuito. Saíram para correr 57 atletas dos 65 inscritos, logo virou uma corrida de rua e os detalhes fariam a diferença, me posicionei bem e sai focado no objetivo de fazer o melhor que podia. Até os 5 km corri num ritmo alucinante e brigava pelo top 20, porém, na segunda metade comecei a perder ritmo e o cansaço de muitas viagens, fusos e provas começaram a aparecer, corri então em 31'42 e fiquei apenas na 32ª colocação, poucos pontos para o que eu conseguisse a vaga direta para as olimpíadas, mas como nenhum atleta do Brasil conseguiu pelo critério direto, a decisão será dia 23 de maio. A briga está entre três atletas”, contou o representante paraense na Seleção Brasileira de Triathlon.

Avaliando sua carreira até aqui, Danilo Pimentel conta que, “o ano foi muito produtivo, consegui fazer minha melhor temporada na ITU desde que comecei a competir final de 2013, porém, o que melhorei não foi o suficiente para tal vaga direta. O ano de 2014 ficou comprometido pela falta de base, pois uma queda no ciclismo nos jogos sul-americanos me afastou dois meses de treinos e quando retomei foi em plena época competitiva de 2015. Voltei à competição somente no segundo semestre e justo no segundo ano de ciclo olímpico, quando pulei de 102 para 78 em apenas seis meses de treinamento e competições. Agora vou descansar por alguns dias, esperar a decisão sabendo que posso ainda ser o reserva e me preparar de forma igual como se fosse largar a prova”, contou.

Danilo também agradece o apoio recebido do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Esporte e Lazer (Seel), de onde é atleta desde os primeiros anos de sua carreira. A família de Danilo em Belém acompanha ainda a reta final torcendo para esse triatleta consiga a tão sonhada vaga pelo índice olímpico.