Talentos Esportivos abre matrícula para aulas gratuitas

A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) abre inscrições para novas turmas do Programa Talentos Esportivos, que oferta aulas gratuitas de natação, saltos ornamentais e ginástica artística para crianças e jovens. As matrículas podem ser feitas a partir desta quarta-feira, dia 15 de fevereiro, até o próximo dia 21, a partir das 8 horas, na Uepa (Universidade do Estado do Pará). O programa atende alunos na faixa etária dos 6 aos 17 anos e é totalmente gratuito. As inscrições devem ser feitas por um responsável e a documentação exigida é a seguinte: duas fotos, comprovante de residência, documento de identificação (identidade ou certidão de nascimento) e atestado médico.

O programa da Seel foi reestruturado para atender às necessidades do esporte de rendimento, de participação e educacional. O Talentos Esportivos é realizado pela Seel em parceria com a Universidade do Estado do Pará (Uepa), que cede espaço para as aulas, e com a Secretaria de Estado de Educação (Seduc), através de cooperação técnica com cessão de professores.

O Talentos Esportivos visa o desenvolvimento do esporte com foco em ações públicas, que permitem que jovens que não teriam condições financeiras de custear uma atividade esportiva possam praticar as modalidades ofertadas. Por este seu perfil, o programa atrai pessoas de baixa renda, que não teriam como praticar um esporte, e acaba sendo importante ferramenta de resocialização ao afastar crianças e jovens de ambientes de risco e os levar para o convívio de um ambiente acadêmico.

As aulas são realizadas no Campus III do curso de Educação Física da Uepa, na avenida João Paulo II, em Belém, e os esportes ofertados são natação, saltos ornamentais e ginástica artística. As aulas de saltos ornamentais são ministradas pelos professores Marcos de Barros, Roberto Ruffeil e Waldeisa Campos, a professora de natação é Fabrícia Ruffeil e o professor de ginástica artística é Ulisses Monteiro de Lima.

Para a professora de natação, Fabrícia Ruffeil, que comanda turmas de 15 a 20 crianças com aulas de manhã e à tarde, o programa é importante por proporcionar acesso ao esporte: “O projeto visa a parte educacional, então, para essas crianças que não têm oportunidade, funciona de forma a contemplar aos que não têm acesso. A gente trabalha com alunos de escolas públicas e privadas, mas a maioria dos alunos é de escola pública. São crianças de diversas comunidades que o programa dá acesso e oportunidade para elas vivenciarem uma atividade esportiva. A demanda tem crescido, esse projeto existe há muitos anos e a procura é cada vez maior.”

Waldeisa Campos, que dá aula de saltos ornamentais, afirma que o programa tem revelado talentos para o esporte paraense: “O projeto Talentos Esportivos tem a característica de envolver a comunidade como um todo na prática das atividades físicas e desportivas, até chegar até na geração de novos talentos de competição, que é o que desenvolvemos aqui. Nós temos as condições para isso, no curso de Educação Física da Uepa, já que aqui temos o maior centro esportivo, em estrutura física, na região Norte. Nós temos uma gama de alunos bem forte. Nós temos hoje uns 400 alunos participando nas modalidades de ginástica, natação, além dos saltos ornamentais, um curso que não se encontra em outros locais do Estado. E nós participamos de eventos nacionais e internacionais, sendo que oito rapazes que hoje treinam e moram no exterior começaram a desenvolver suas práticas esportivas aqui, nos saltos ornamentais. Além deles, um grupo de alunos da ginástica artística participou do Campeonato Brasileiro, em Londrina, e da Taça Brasil, no Rio de Janeiro, que é a competição mais importante do país”, afirmou a professora.

Waldeisa Campos também destaca a importância social do Talentos Esportivos: “Essa garotada começa conosco a partir dos 7 anos de idade. Dentro desse conjunto de desenvolvimento social, a maior importância é em relação à educação. Hoje, muitos que participaram deste projeto da Seel já têm formação em nível superior, são médicos, advogados. E a importância maior é a gente resgatar, além da parte esportiva, a cidadania deles. A maioria destes alunos não teria como se dedicar ao estudo se não praticasse um esporte, devido à condição de alto risco social em que vivem. Muitos alunos não têm condição de estar em um local particular e ter uma prática realmente com qualidade. Não teriam como ter acesso se não fosse realmente por meio do projeto. Além disto, algumas atividades que ofertamos aqui são únicas no Estado. Então, aqui tem gente vindo de Marituba, Icoaraci, Ananindeua, de toda a Região Metropolitana de Belém.

A professora de saltos ornamentais conta com crianças de sete a 12 anos em suas turmas. O curso do Talentos Esportivos é, atualmente, o único disponível no Estado para a prática desta modalidade. “Essa parceria com a Seel é muito importante, primeiro porque no Pará nós só temos a modalidade de saltos ornamentais aqui no núcleo da Uepa. Então, sem essa parceria com a Seel, a gente não iria poder implantar e manter os saltos ornamentais aqui. Aliás, de todo o Estado do Pará e de toda a Região Norte, o único local que tem aula de saltos ornamentais é aqui na Uepa. No Nordeste, agora é que tem na Paraíba e no Ceará. E, em termos de resultados esportivos, nós já estamos colhendo os frutos. Em 2016, o Yan Matos participou das Olimpíadas. Ele começou a praticar os saltos ornamentais no projeto, aqui comigo. Ele deveria ter uns 11 anos quando começou e foi para as Olimpíadas. Então, está dando frutos. Além dele tem outros que estão em outros países. A semente que foi germinada está dando frutos, conclui Waldeisa Campos.

Há 40 anos trabalhando com a ginástica rítmica, como atleta, auxiliar técnico, técnico e professor, Ulisses Monteiro de Lima conhece profundamente esta modalidade. Bem mais do que conhecimento técnico, a sua experiência lhe ensinou muito sobre a importância do esporte na vida de crianças e jovens socialmente vulneráveis, que convivem com os perigos da violência e das drogas. Ele comanda duas turmas de iniciação no esporte, cada uma com 30 alunos; duas turmas de iniciados, com 12 alunos cada e uma de pré-equipe, com sete atletas que já participam de competições. Mas, o que ele queria é abraçar muito mais crianças com a ginástica. “Na turma de iniciação, eu trabalho com 30 crianças, de 5 a 10 anos. A estrutura aqui, no máximo, é para 20 alunos. Só que chegam muitas crianças aqui e a gente não tem como recusar. E tenho uma turma de pré-equipe que já disputando campeonatos nacionais, como sete alunos.”

E vai gente de longe atrás das aulas do professor Ulisses: “A Secretaria tem dado oportunidade, através deste projeto e de outros que existem, para crianças que não têm como praticar atividade física em seus bairros. Então, aqui é um centro esportivo. É um lugar ideal para crianças que possam vir para cá desenvolver as diferentes atividades aqui dentro. Tem gente de Benevides, de Marituba, de Santa Izabel, vindo pra cá. A mãe faz um esforço pra trazer essas crianças pra cá porque o custo é muito alto. Porque nesses lugares não tem acesso à ginástica artística. Vem gente até de municípios próximos. Então é muito importante esse momento de atividade esportiva aqui na Uepa, para elas não ficarem na ociosidade, não ficarem na rua, ocupar o tempo ocioso delas pra não ficarem pensando bobagem.”

Para o professor, o esporte é importante aliado contra a alienação do mundo virtual de internet e redes sociais: “As crianças, hoje em dia, passam muito tempo no mundo virtual. Isso está levando essas crianças a terem conhecimentos errados, fora da realidade que os pais passam em casa. Isso interfere muito no processo de desenvolvimento das crianças. A criança tem que brincar, tem que experimentar diversas situações de lazer. E não está acontecendo isso. Aquelas brincadeiras tradicionais estão se acabando em função do virtual. A criança prefere ficar num computador, num celular, na internet, do que no mundo esportivo, que é muito importante pra vida delas. Então, este projeto tem muita importância também por causa disso, por ocupar o tempo dessas crianças para que a criança não fique em casa vivendo nesse mundo virtual.”

Ulisses de Lima afirma que o Talentos Esportivos está cumprindo importante papel social ao tirar crianças e jovens das ruas e os afastar de situações de risco: “Nesse mundo de violência que esta aí fora, a criança não pode brincar na rua porque a preocupação é grande. A gente não pode mais ficar na porta de casa. Isto está interferindo também neste processo de aprendizagem da criança. Ela está deixando de viver essa recreação, esse momento de lazer, de disposição dela para a atividade física. Então aqui a gente resgata esse momento. A gente resgata essa importância da atividade física pra vida delas. Por isso é tão importante o investimento do governo em um projeto como esse, este investimento em estrutura, em profissionais. Porque estamos trabalhando com crianças de alto risco social, crianças que convivem em um meio muito ruim. que só vai dar coisas ruins pra ela. E aqui nós temos condições de educar, as condições são favoráveis, e estamos dentro de uma universidade. Então aqui ele vai ver pessoas estudando, querendo ser alguém na vida. É melhor do que ele estar na rua. Então, quando o governo dá apoio para um projeto como esse, nós conseguimos tirar muitas crianças da rua. Desta forma as coisas vão melhorar em nosso Estado, as crianças poderão ser cidadãos melhores e se dedicar mais aos estudos. Isto é o que a gente quer para os nossos filhos.”

14/02/2017
Fotos e texto: Antonio Darwich (Ascom/Seel)