Secretária da Seel entrega kits esportivos aos atletas do Bolsa Talento

A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) realizou ontem à noite, na Arena Guilherme Paraense, antes da partida entre Brasil Kirin e Sesi-SP, pela 8ª rodada da Superliga de Vôlei Masculino, a entrega de kits esportivos para 162 atletas e paratletas beneficiados pelo projeto Bolsa Talento, do Governo do Pará. A cerimônia foi comandada pela secretária de Esporte e Lazer do Estado, Renilce Nicodemos. Ela afirma que a iniciativa incentiva a prática esportiva no Pará. “Esses kits que foram entregues aos atletas foram mais um incentivo do governo do Estado para que eles possam treinar melhor e render mais nas competições”, disse.

Para a Secretária Renilce Nicodemos, os benefícios para a sociedade com programas como o Bolsa Talento vão muito além da esfera esportiva: “Este programa da Seel não é apenas uma ação esportiva. É, acima de tudo, um investimento social. Pois realiza o compromisso do Estado em garantir uma vida melhor para todos os paraenses, já que o esporte é um dos meios mais eficazes de proteger a infância e a juventude do perigo das drogas e da criminalidade.”

A titular da Seel também afirmou que o programa é uma ação essencial para o desenvolvimento dos talentos esportivos do Estado: “A entrega dos kits esportivos do Bolsa Talento marca uma nova era para o esporte paraense. É a realização do sonho de muitos atletas que agora têm condições de desenvolver seus potenciais de forma plena e com tranquilidade. São 162 atletas de 25 modalidades que poderão exercer suas carreiras esportivas e representar o Pará em competições nacionais e internacionais. São talentos que não serão mais desperdiçados. Pelo contrário, a valorização desses atletas pelo Bolsa Talento é a garantia de que eles serão os campeões que irão inspirar as futuras gerações de atletas e cidadãos paraenses”, afirmou Renilce Nicodemos.

Para o paratleta de basquete em cadeira de rodas Tiago Nascimento, o Bolsa Talento garante uma melhor estrutura para a prática do esporte. “Esse projeto vem beneficiando os atletas paraenses há algum tempo, principalmente no que se refere à compra de equipamentos. O clube onde treinamos nos ajuda, mas o auxílio que o projeto dá é um incentivo a mais”, frisou.

 Foto: Thiago Gomes / Agência Pará

“O projeto auxilia da melhor forma possível, levando em conta toda a dificuldade que a gente passa. É uma ajuda de custo que banca todas as nossas viagens e, através desse auxílio, podemos chegar a competições nacionais levando o nome do estado”, acrescentou a atleta de ginástica artística, Raiza Almeida.

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará 

Os 162 contemplados de 25 modalidades receberam kits compostos de agasalho e itens esportivos de uso pessoal. Os mesmo também recebem os incentivos financeiros variando entre R$1.018,76 para bolsa nacional e R$ 679,12 para o programa estadual. Vale ressaltar que as parcelas são pagas mensalmente durante um ano. Esta nova lista de contemplados obedeceu aos critérios estabelecidos no edital de convocação e cumpriu várias etapas de apresentação de documentos tanto das federações como de atletas. “O edital deu mais transparência ao processo inteiro, mas nós estamos muito felizes em poder finalizar o ano homenageando os atletas paraenses tanto com o kit esportivo como com a bolsa de incentivo financeiro, sem a qual muitos não poderiam competir”, destacou a secretária.

A entrega dos kits também contou com a presença de Gabriel Conceição, de 12 anos, que faz parte do projeto Luvas da Esperança, da Federação de Muaythai Tradicional do Estado do Pará (FMTTEPA), que promove a inclusão social de crianças e adolescentes através da prática do muaythai. A Secretária Renilce Nicodemos afirmou que o Luvas da Esperança é um exemplo de como o esporte pode mudar a vida das pessoas e da sociedade e que está sendo fundamental para a realização dos sonhos das crianças que são atendidas pelo projeto, como Gabriel. Ela declarou, se dirigindo aos atletas contemplados pelo Bolsa Talento: “Este menino aqui (Gabriel) é como vocês. Assim como vocês um dia sonharam em se tornar atletas e agora alcançam resultados positivos em competições estaduais e nacionais, ele também sonha com isso. E assim como vocês ele encontrou no esporte um caminho para uma vida nova.”

O Programa Bolsa Talento foi criado pela Lei n.º 6.215/99 e visa dar apoio aos atletas, páratletas, técnicos e guias (T11) no âmbito do esporte de rendimento. O maior objetivo do programa é dar condições para que o esporte paraense atinja índices competitivos para disputas locais, nacionais e internacionais. Na versão de 2016, o programa alcançou 162 atletas de 25 modalidades e ainda marcou um novo capítulo na história de sucesso do Bolsa Talento, que a partir de 2015 criou regras próprias previstas em edital de convocação.