Reunião nesta quarta-feira define esquemas de segurança e trânsito para o clássico Re-Pa

A Secretaria de Esporte e Lazer (Seel) prepara Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão) para receber o clássico Remo e Paysandu, marcado para domingo, 26, a partir das 16h. O jogo é válido pelo Campeonato Paraense de Futebol e a expectativa é de reunir mais de 30 mil torcedores. Os esquemas de segurança e trânsito serão definidos em reunião nesta quarta-feira, 22, às 10h, no Batalhão de Policiamento Ambiental, no Parque do Utinga. No Mangueirão, as atenções se voltam para os serviços de limpeza, pintura, manutenção elétrica e hidráulica e, especialmente, o gramado e o novo sistema de catracas eletrônicas.

Na manhã desta terça-feira, 21, os engenheiros agrônomos Raimundo Mesquita e Jessivaldo Galvão supervisionaram o gramado, que apesar da densidade chuvosa permanece em condições de jogo. Segundo Mesquita, essa condição favorável é resultado de um trabalho que começou no início do ano com obras de descompactação que consistem na abertura de pequenos furos, com uso de máquinas, onde posteriormente são jogados 48 metros cúbicos de areia grossa. A segunda fase da obra foi adubação. “A areia forma uma camada que facilita o sistema de drenagem e reforça o local para receber o peso e a movimentação dos jogadores. O plantio do gramado é a fase final”, explicou Jessivaldo Galvão, que também é professor da Universidade Federal Rural da Amazônia.

O gramado do Mangueirão é da variedade Bermuda Celebration, recomendada pela Federação Internacional de Futebol (Fifa). De acordo com Raimundo Mesquita, ex-jogador de futebol profissional, essa variedade de gramado cresce até dois centímetros num período de 24 horas e precisa de atenção redobrada, mas vale a pena, pois se torna ideal à prática do futebol. “Fica ideal, mas se forem tomados os cuidados necessários, e nós estamos cuidando desse detalhe”, disse.

Para o jogo de domingo, o serviço de roçagem e de aplicação de outros componentes químicos de combate a ervas daninhas e formigas estará concluído. “Na verdade, esse serviço é contínuo, já que estamos num período de chuvas intensas e precisamos manter o gramado em condições da prática de futebol”, explica Mesquita.

Catracas - O novo sistema de catracas do Mangueirão também passa por manutenção permanente. Após cada jogo é feito relatório que define a programação de serviços. A empresa Imply, do Rio Grande do Sul, é a responsável pela criação do software que opera na leitura dos bilhetes. A Seel pede aos torcedores que tenham calma na hora de cruzar a catraca, para que o equipamento não seja danificado. “Os casos de depredação do patrimônio público são encaminhados à polícia. Então, a pessoa que danificar o equipamento vai responder criminalmente pela sua ação”, alerta o gerente de Segurança do Mangueirão, Elber Maia.

Desde a reabertura do Mangueirão para os jogos oficiais do Campeonato Paraense e Copa Verde, a Seel já registrou dois casos de depredação das catracas eletrônicas. “Chamamos atenção que o uso das catracas é preconizado no Estatuto do Torcedor, portanto, o Governo do Estado está dando cumprimento ao que preconiza a lei. Por isso, o torcedor tem que fazer a sua parte, chegando cedo para evitar correria, tumulto e todo mundo querendo entrar ao mesmo tempo. O sistema é rápido, mas passível de apresentar problemas pontuais que a Seel tem condições técnicas de resolver e dar andamento ao evento”, explicou Elber Maia.

Imprensa - Sobre a cobertura de jogos no Mangueirão, a Seel informa que o credenciamento dos profissionais de imprensa é feito pelo e-mail competicao02@fpfpara.com.br . O uso das cabines para emissoras de rádios visitantes é solicitado pelo e-mail ascomseel22@gmail.com e segue os critérios de ordem de chegada e pedido de linha telefônica junto à operadora credenciada. As rádios que operam em frequência modulada e pelo sistema web ficam posicionadas na tribuna desportiva.

A diretora do Mangueirão, professora Cláudia Moura, recomenda cautela ao público. “Nós entendemos o amor das torcidas, mas pedimos compreensão, paciência e que venham para o estádio unicamente para torcer pelo seu clube do coração. O Mangueirão é uma praça pública de esporte e lazer e nós trabalhamos muito para mantê-lo em condições de receber o torcedor e sua família. Portanto, antes de sair de casa tome alguns cuidados como não trazer ou portar objetos de valor, chegue cedo, traga documento da criança para facilitar o acesso. Nós estamos aqui para zelar pela segurança de todos, mas precisamos que todos também colaborem com nosso trabalho”.

Texto: Selma Amaral (Ascom/Mangueirão)

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará