Projeto de Marapanim ajuda tirar jovens das ruas

O projeto “Meu pai sou bom de bola porque sou dez na escola” foi criado há dois meses com a meta de tirar os jovens das ruas e livrá-los do uso das drogas na cidade de Marapanim, região Nordeste do Pará. Segundo o presidente Augusto Cezar Lopes Oeiras, no começo eram apenas 25 participantes, mas agora são 78 integrantes que buscam no local uma nova esperança de vida e de recuperação do tempo perdido na educação. O projeto oferece aulas de futebol, música, recreação e dinâmica de grupos com palestras voltadas à importância da família, dos amigos e da escola.

Devido à seriedade do projeto, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), que também trabalha o esporte como inclusão social, vai apoiar as ações com doação de material esportivo como bolas, redes, jogos de camisas entre outros. O presidente Augusto Cezar foi recebido na tarde desta terça-feira, 29, pela secretária Renilce Nicodemos, na sede da Seel, em Belém.

Para fazer parte do projeto é preciso estar na escola. “Nosso critério de avaliação é a criança estar na escola. Por isso, além das ações no bairro do Abacate, também estamos realizando visitas nas escolas para acompanhar o resultado dos estudantes. Quem estiver precisando de ajuda pode procurar o projeto”, disse o presidente, que tomou a iniciativa de criar o projeto para evitar o aumento do número de jovens na criminalidade.

“Sabemos que a realidade da criminalidade é grande, porém com a ajuda do governo do Estado e das famílias nós podemos encontrar uma alternativa para evitar o envolvimento dos jovens com o mundo das drogas”, destacou ainda o presidente do projeto Augusto Cezar. O projeto “Meu pai sou bom de bola porque sou dez na escola” funciona no bairro do Abacate, zona rural de Marapanim, com atividades às quartas-feiras e aos domingos. Todas as ações são de graça.

Tags: