Programa Bolsa Talento é referência em inclusão social, afirma Daniele Kayath

Daniele Kayath, Diretora Geral do Núcleo de Articulação e Cidadania (NAC), durante visita ao estande da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) montado na I Feira Estadual Existir, fez avaliação bastante positiva do evento encerrado hoje, dia 8, no Teatro Maria Silvia Nunes, na Estação das Docas. “Ainda não dá para avaliar o tamanho da importância desta feira, a visibilidade, a visitação que a feira está tendo, o tempo todo lotada. É um sucesso tão grande que ainda não podemos avaliar”. A I Feira de Ações Integradas à Pessoa com Deficiência e II Feira Paraense de Tecnologia Assistiva, Acessibilidade e Inclusão Social da Pessoa com Deficiência”, foi aberta na segunda-feira e encerrada hoje. A Feira foi realizada de forma paralela ao V Fórum de Tecnologia Assistiva e Inclusão Social da Pessoa com Deficiência. O evento é promovido pelo Governo do Estado, por intermédio de NAC (Núcleo de Articulação e Cidadania) e Núcleo de Estudo e Desenvovimento de Tecnologia Assistiva e Acessibilidade da Uepa (Universidade do Estado do Pará).

Para Daniele Kayath, o evento cumpriu o seu papel de levar para a sociedade as ações do governo do Estado para a melhoria das condições de vida das pessoas com deficiência: “A importância da Feira é justamente dar a informação para a sociedade de tudo o que o governo do Estado está fazendo e o que a sociedade integrada está trazendo em cima disso. De tudo o que é voltado em relação à pessoa com deficiência, como equipamentos que melhoram a vida com tecnologia de ponta, palestrantes maravilhosos sobre o  assunto, para qualificar nossos médicos e educadores, sobretudo na área de terapia ocupacional.”

A diretoria do NAC afirma que a Feira mostrou um pouco de tudo o que é realizado pelo governo do Estado em relação ao apoio às pessoas com deficiência: “A feira veio justamente para isto, para mostrar um pouco de tudo. Programas de governo, acessibilidade na área comercial. O que a gente tem feito, os que os estudantes estão fazendo, tem a Bolsa Talento, tem a bolsa da Fapespa de incentivo a trabalhos científicos voltados à pessoa com deficiência. Então a feira está congregando um pouco de tudo, está integrando tudo, além da área cultural, as áreas esportiva, educacional e de medicina.”

Entre os programas do governo do Estado de apoio às pessoas com deficiência, Daniele Kayath citou o Bolsa Talento, da Seel, pela sua importância no trabalho de inclusão social: “O principal desses programas (do governo do Estado) é justamente a inclusão social, é a oportunidade, o que eles podem ter de acesso em relação à qualidade de vida. Entre estes principais programas, podemos citar tanto este da Fapespa, que eu já falei, que é a bolsa da Fapespa de incentivo a estudos científicos voltados à melhoria da tecnologia assistiva; o Nedeta (Núcleo de Desenvolvimento em Tecnologia Assistiva e Acessibilidade, da Uepa), que é um grande núcleo que a gente tem, que é uma referência, premiado nacional e internacionalmente , que é dentro da Uepa e que faz trabalho maravilhoso dentro da terapia ocupacional; nós temos o Cheque Moradia e a Bolsa Talento, que é o incentivo aos atletas paralímpicos que coloca recursos que convergem para onde? Para a inclusão social.”

A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), é gestora do Programa Bolsa Talento, que foi criado pela Lei 7.119, de 31 de março de 2008 pelo Governo do Estado do Pará como forma de estimular o desenvolvimento físico, social e psicológico de atletas contemplados em modalidades olímpicas, paralímpicas e amadoras. A partir do projeto foi possível manter e aumentar o número de atletas que representam o Pará em competições regional, nacional e internacional. O critério para se tornar atleta do programa é o ranking construído a partir dos relatórios enviados pelas federações à Seel.

Criado em 2003, o Programa Cheque Moradia beneficia famílias na faixa de renda especifica de três salários mínimos. Os atendimentos especiais visam as famílias em situações de risco ou miséria, vítimas de incêndios e desabamentos. Em 29 de agosto de 2011, por meio do decreto de n° 173, de 29 de agosto de 2011, o governo do Estado priorizou o atendimento do Programa Cheque Moradia à pessoas com deficiência. Desde 2011, quando foi firmada uma parceria com a Secretaria de Assistência, Trabalho e Renda (Seaster) para o atendimento preferencial de pessoas com deficiência, com a intermediação do Centro Integrado de Inclusão e Cidadania (CIIC), mais de três mil deficientes já foram atendidos pelo Programa habitacional.

 

Texto e foto: Antonio Darwich / Ascom Seel