Polo Pro Paz no Mangueirão retoma as atividades

O polo Pro Paz Mangueirão, que atualmente possui 486 alunos matriculados, deu início às atividades do primeiro semestre de 2015, na semana passada. Entre as oficinas ofertadas, este semestre, estão aulas de futebol, basquete, capoeira e artes marciais, além das aulas de música, em uma parceria com professores do Instituto Carlos Gomes, para aulas de flauta doce, com instrumentos doados por essa instituição.

As oficinas são ministradas das 8h às 12 horas, e das 14h às 18h, de segunda à sexta-feira, por uma equipe de técnicos e professores, sob a coordenação do ex-jogador de futebol, Zé Augusto, novo coordenador responsável pelo Pro Paz polo Mangueirão. “Hoje as crianças procuram no esporte, e principalmente no futebol uma forma de passar o tempo fora da escola, e quem sabe se tornar um jogador profissional”, comentou o coordenador.

Para a pedagoga Erica Melo, o grande desafio é promover a participação dos jovens em todas as oficinas. “A maioria chega aqui querendo participar apenas das aulas de futebol, mas acabam participando dos outros cursos, e muitos se identificam com as aulas de música também”, comentou a pedagoga.

Além das atividades oferecidas pelo polo Pro Paz Mangueirão, está em andamento outro projeto social, em área cedida pelo Governo do Estado do Pará, para a reforma e ampliação do Centro Esportivo da Juventude (Ceju), uma parceria entre Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Federação Paraense de Futebol (FPF) e Federação internacional de Futebol (FIFA).

Com a ampliação desse centro esportivo, que conta com três campos de futebol de grama sintética e um de grama natural, a coordenação do polo Pro Paz Mangueirão, estima que 210 novas vagas sejam abertas para quatro turmas nos turnos da manhã e da tarde, para jovens de 8 a 18 anos.

Competições - No ano passado foi realizada a Copinha do Pro Paz nos bairros, que é um campeonato com várias modalidades, disputadas entre os alunos matriculados em todos os polos do projeto Pro Paz. No ano passado, primeiro ano da Copinha, o polo Mangueirão foi o campeão em duas modalidades, incluindo a equipe feminina de futebol, que ficou em segundo lugar.

O projeto atende crianças e adolescentes com atividades nas áreas de esporte, lazer, arte e cultura, tendo como formato pedagógico a complementação escolar - no horário complementar ao da escola, que cria alternativas saudáveis e de continuidade educacional nos períodos ociosos. Desde 2011, quando foi criado, o projeto já atendeu 8.376 jovens, dos quais 2.348 somente em 2014.

 

Texto: Patrícia Medeiros - Ascom/Seel/Mangueirão

Foto: Agência Pará