Polícia Militar proíbe a utilização de ‘pau de selfie’ no Mangueirão

Um dos equipamentos mais utilizados atualmente por quem gosta de fotografar, o selfie stick, mais conhecido como “pau de selfie”, teve o uso proibido nas dependências do Estádio Olímpico do Pará. A decisão foi anunciada em uma reunião na manhã de terça-feira, 27, entre a Polícia Militar do Estado e a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), responsável pela administração do Mangueirão.

O “pau de selfie” é um acessório confeccionado em metal que ajuda fazer fotos com o celular. Dotado de uma extensão que permite aumentar o seu cumprimento de maneira a garantir a captura de imagens em ângulos mais abertos, o equipamento já está proibido em alguns estádios brasileiros, como o Mineirão, em Belo Horizonte (MG), a Arena Amazonas, em Manaus (AM), e o de Fortaleza (CE). Os especialistas na área de segurança argumentam que o objeto representa perigo porque pode ser usado como bastão em casos de agressão ou briga entre torcidas.

O coronel Antônio Cavalcante, Comandante do Batalhão de Eventos da Polícia Militar do Pará, esclarece que a medida acompanha a decisão tomada por órgãos da área de segurança em outros estados e países, como a Inglaterra. “Além de poder ser transformado em um objeto contundente, que pode machucar e ferir, ainda existe a possibilidade de que um celular colocado nesse suporte seja roubado com mais facilidade durante as partidas”, explicou.

Instalações - Durante a reunião, que contou com a presença da titular da Seel, Renilce Nicodemos, e da diretora do Mangueirão, Cláudia Moura, foi comunicado também que o Estádio Olímpico do Pará passará a abrigar o Comando do Batalhão de Eventos da PM, instalado em uma estrutura dotada de salas amplas e com monitoramento eletrônico. O espaço funcionava até então como uma sala de estar dos funcionários do Estádio, que será remanejada para outra ala do Mangueirão. A cessão do espaço para o Batalhão de Eventos vai garantir não só mais segurança aos frequentadores do estádio, como também da comunidade no entorno, que contará com o serviço em caráter permanente.

De acordo com o Coronel Cavalcante, o espaço que o Batalhão da PM ocupa atualmente na avenida Dr. Freitas não dispõe de estrutura adequada para as atividades que precisam ser desenvolvidas pela unidade. “Aqui, teremos uma boa estrutura para receber as outras unidades que vão trabalhar no Mangueirão e uma melhor logística para atendê-los. Teremos a vantagem de estar mais próximos não só do Estádio Olímpico, como do ginásio multiuso que será inaugurado, e a facilidade em entrar e sair do complexo por três vias. Além disso, o monitoramente eletrônico vai nos auxiliar no dia a dia, facilitando a identificação de pessoas que porventura venham a cometer algum crime como roubo, depredação ou uso inadequado do patrimônio público", completou. A previsão é que essas mudanças sejam implementadas já nesta semana.

A diretora do Estádio Olímpico do Pará, Claudia Moura, enfatiza que a mudança trará avanços importantes. “Ter essa segurança no Estádio Olímpico, até pelo corpo de equipamento que o Mangueirão compreende, é de suma importância e vai facilitar muito o trabalho da Seel”, afirma, lembrando que o Tribunal de Justiça do Estado (TJE) também já ocupa um espaço no Estádio.

 

Dedé Mesquita - Ascom/ Seel

Foto: Adriana Pinto - Ascom/ Seel