Paraenses brilham nos Jogos Parapan-Americanos de Jovens

O judô paralímpico do Pará se destaca no cenário internacional com as conquistas de Thiego Marques Silva e Larissa Oliveira Silva na 4ª edição dos Jogos Parapan-Americanos de Jovens, que foi disputado em São Paulo e encerrado no último sábado, dia 25. Thiego foi o campeão da classe visual B2. Na última quinta-feira (23), o judoca de Parauapebas e integrante da equipe Aepa (Associação Esportiva e Paradesportiva do Sul e Sudeste do Pará), venceu o colombiano Leonardo Olave Erazo na decisão disputada no Centro Paralímpico Nacional, para conquistar a medalha de ouro. Já Larissa, atleta da Associação Souza Filho de Artes Marciais (Asfam), conquistou a medalha de bronze na categoria até 52 quilos feminino sênior.

 Foto: Ascom CBJ

Larissa Oliveira, que faz parte do projeto Dorinha, da Asfam, disputou o Parapan com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). O Dorinha também recebe apoio da Seel e atende crianças em situação de risco social e deficientes visuais, autistas e portadores de Síndrome de Down. Com a parceria com a Secretaria, a Asfam tem aumentado o espaço para reinserção social e revelações de talentos esportivos.

Pentacampeão nacional nos anos de 2011, 2012, 2013, 2014 e 2015 pela categoria Ligeira (até 60 kg), vice-campeão no Mundial de Jovens de Judô em 2013, nos Estados Unidos, e campeão do Grand Prix Infraero de Judô para Cegos disputado em Belém em novembro do ano passado, Thiego Marques é um dos principais destaques do judô paralímpico brasileiro. Ele está entre os atletas que já conseguiram resultados entre os adultos e aos poucos estão sendo introduzidos na equipe principal, ao lado de Luan Pimentel (Mato Grosso do Sul) e Luiza Oliano (Rio Grande do Sul).

Nascido e criado no município paraense de Parauapebas, Thiego Marques treina desde os 10 anos e agora sonha em participar das Paralimpíadas de Tóquio 2020. “Em um futuro próximo alguns desses meninos representarão os seus países em Mundiais e até mesmo em Jogos Paralímpicos. O Parapan de Jovens ajudou muito na renovação da modalidade”, disse coordenador do judô no Parapan de Jovens, Tibério Maribondo, que também é o presidente da Federação de Judô do Estado do Rio Grande do Norte.

Para o diretor da competição, Edilson Rocha, não há dúvidas que muitos atletas vão aparecer nos próximos anos nas principais competições paralímpicas do mundo. “Atletas que conquistaram medalhas no Jogos do Rio 2016 estavam no Parapan de Jovens em 2013. Desta forma, aqueles que ganharam medalhas neste ano em São Paulo certamente estarão nos Jogos Parapan-Americanos (Lima 2019) e nos Jogos Paralímpicos (Tóquio 2020)”, diz.

As medalhas dos paraenses ajudaram o Brasil a vencer os Jogos Parapan-Americanos de Jovens 2017, disputados entre os dias 20 e 25 de março em São Paulo. A equipe nacional conquistou 139 medalhas (66 de ouro, 41 de prata e 32 de bronze). O Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro abrigou 11 modalidades (atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, goalball, judô, halterofilismo, vôlei sentado, natação, tênis de mesa e basquete em cadeira de rodas). As partidas do tênis em cadeira de rodas foram disputadas no Clube Esperia. Em segundo lugar ficou a Colômbia, com 47 medalhas de ouro, 38 de prata e 24 de bronze, seguida pela Argentina, com 22 de ouro, 30 de prata e 16 de bronze.

Cerca de 800 atletas, com idade entre 13 e 21 anos, de 20 países, participam do Parapan de Jovens. Entre as metas da competição está a descoberta de novos talentos. E o desempenho dos atletas chamou atenção. “O nível aumentou muito. Se compararmos essa edição com Buenos Aires 2013, Bogotá 2009 e Baquisimeto 2005, vamos notar a evolução dos atletas mais jovens. Índices para campeonatos mundiais de adultos foram obtidos”, afirma Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) e do Comitê Organizador.

GP Infraero - Também em março, antes do Parapan, Thiego Marques e Larissa Oliveira disputaram o Grand Prix Internacional Infraero de Judô Para Cegos, em São Paulo, ao lado de outros paraenses: Miquias Nascimento, Vagner de Oliveira e Ana Clara Maciel, que são judocas da Asfam. A Seel apoiou a equipe paraense neste torneio com a concessão das passagens aéreas.

Nesta competição, Larissa Silva conquistou a medalha de bronze na categoria até 52 kg; Thiego Marques garantiu o bronze e Mequias Nascimento foi o 5º colocado na categoria até 60 kg. Pela classe Iniciante, Ana Clara Maciel conquistou a medalha de bronze na categoria até 52 kg.

A Rússia foi a campeã do GP ao conquistar seis ouros, sendo três no feminino e três no masculino. Com uma medalha de ouro cada, Romênia e Suécia completaram o pódio. O evento contou com a participação de cerca de 170 atletas, de 17 Estados e do Distrito Federal, além da presença de judocas de outros cinco países: Argentina, Estados Unidos, Romênia, Rússia e Suécia.