Paraense Isaac Rodrigues mantém título de campeão mundial de boxe

O cinturão de campeão mundial dos Pesos Médios continua no Brasil, no Pará e com o pugilista paraense, natural de Mocajuba, Isaac Rodrigues. A disputa de boxe foi realizada na noite desta sexta-feira, 19, no ginásio da Escola Superior de Educação Física, no bairro do Marco, em promoção da confederação World Federation Boxing (WFB), com apoio do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

Esta foi a primeira vez em que Isaac defendeu o cinturão dos Médios, até 72,580 quilos, conquistado em dezembro do ano passado, no Hangar - Convenções e Feiras da Amazônia, ao vencer por nocaute o mexicano José Pinzon. A luta de defesa do título foi contra o sul-africano Nkululeko Mhlongo, campeão intercontinental da mesma confederação, em combate de 12 rounds.

Os dois boxeadores fizeram uma luta muito equilibrada, com ambos se alternando nas vantagens ao longo da disputa. Ao final dos 12 rounds, Isaac ganhou por pontos, por decisão unânime dos três juízes da luta, que concederam os mesmos escores - 117 X 110 - favoráveis ao pugilista paraense.

O sul-africano Nkululeko estava invicto há 19 lutas e com 17 nocautes no currículo. Foi a primeira vez que ele lutou fora do seu país, ao contrário do paraense, que já é experiente em eventos internacionais.

Acelino "Popó" Freitas, pugilista brasileiro, nascido na Bahia, tetracampeão mundial em duas categorias diferentes de boxe, e o treinador de Isaac, Ulisses Pereira, cuidaram do treinamento do boxeador paraense e ficaram ao lado do ringue orientando e incentivando o campeão.

Depois de ser declarado o vencedor e receber o cinturão, Isaac era uma alegria só. “Diz aí que eu sou Isaac Rodrigues e quem manda aqui sou eu”, disse o pugilista, repetindo a mesma fala da vitória no ano passado. “Essa é uma vitória nossa. Manter esse cinturão mostra a seriedade do nosso trabalho, da nossa força e da nossa união. Vocês, assim como eu, são campeões do mundo também”, completou Isaac.

O treinador Ulisses Pereira elogiou a vitória de Isaac, assim como Popó. “Depois de treinar o Popó, eu decidi que já era o momento de termos um campeão de boxe paraense. O Isaac é disciplinado, mas a sua técnica e força são invejáveis”, disse Ulisses.

Antes da luta final entre Isaac e Nkululeko houve sete lutas profissionais de boxe. A disputa do cinturão despertou o interesse da mídia nacional e teve transmissão, ao vivo, pela televisão, no canal Esporte Interativo.

Para a titular da Seel, Renilce Nicodemos, disputas como essas, em Belém, ajudam a divulgar ainda mais o boxe. “Vemos esse esporte como uma modalidade que não mostra violência, e sim, técnica e muito empenho. Ficamos felizes em que disputas como essas, de cunho internacional, sejam feitas em nosso Estado, porque o nosso empenho é que ela seja realizada com respeito e ética e também para mostrar que aqui temos atletas de muita categoria”, afirmou a secretária.

Aos 30 anos, com 1,78 m de altura e 72,40 quilos, Isaac é também campeão latino-americano dos Super Médio, em uma vitória contra o também mexicano Eduardo Tercero, que atualmente treina em Belém, na academia Ulysses Pereira.

No início deste ano, Isaac Rodrigues e Ulysses Pereira foram eleitos pela World Boxing Federation os melhores boxeador e treinador de 2014, respectivamente. Com essa escolha, Isaac passou a figurar em um ranking que traz verdadeiras lendas do boxe mundial, como Daniel Venter (África do Sul), Marco Antonio Rubio (México), Michael Grant (EUA), Evander Holyfield (EUA) e William Gare (África do Sul).

Já o treinador Ulysses Pereira ladeia nomes como Juan Carlos Contreras (México), Alan Toweel (África do Sul) e Dirk Dzemski (Alemanha).

 

Texto: Dedé Mesquita - Ascom/ Seel

Foto: Anderson Silva - Secom/ Agência Pará