Paraense é campeã pan-americana de caratê

12/08/2016

Em sua primeira competição internacional, a atleta paraense Iasmin Rodrigues, 16 anos, faixa preta de caratê, conquistou duas medalhas de ouro no Campeonato Pan-Americano de Karate, disputado em julho, em Buenos Aires. Atual campeã nacional de kata e kumite, títulos conquistados no Campeonato Brasileiro de 2015, ela repetiu a dobradinha no Pan-Americano para novamente ser campeã de kata e kumite. Ontem, Iasmin esteve na sede da Secretaria de estado de Esporte e Lazer (Seel ) para agradecer o apoio que recebeu para a disputa do torneio organizado pela Panamerican Karate Confederation (PKC).

No kata, Iasmin Rodrigues superou sete adversárias, quatro argentinas, duas peruanas e uma uruguaia para conquistar o título na categoria 15 a 17 anos - faixas roxa a preta. No kumite, ela foi campeã na categoria 15 a 17 anos - mais de 55 kg.

Iasmin Rodrigues ganhou duas medalhas de ouro.

Treinador de Iasmin desde quando ela começou no caratê, aos sete anos, Eliezer Kouri afirma que logo percebeu o potencial de sua pupila: “Quando o atleta chega com bastante energia, quando a gente olha a gente já sabe que a pessoa tem uma percepção boa para esta arte. Mesmo sendo crianças. Ela foi melhorando a cada dia, se aperfeiçoando. Até que ela foi ganhando tudo no Pará e no Brasil também. Agora, no seu primeiro evento internacional, ela já conseguiu ser campeã.”

Para Eliezer, o apoio da Secretaria foi fundamental para a participação do Pará no campeonato disputado na Argentina: “O apoio da Seel foi total, com hotel, passagens, alimentação, inscrição dos doze atletas da delegação paraense. Sem esse apoio, estas conquistas não seriam possíveis”.

A próxima meta de Iasmin, que treina na Academia Askan, é a disputa do Campeonato Brasileiro, em Brasília, e do Campeonato Mundial na Itália, em outubro. Em breve, o treinador espera ver a lutadora disputando uma vaga na seleção brasileira de caratê que irá competir nos Jogos Olímpicos do Japão de 2020. Nesta Olimpíada, o caratê vai fazer a sua estreia como um esporte olímpico. “Demorou, né? Mas agora finalmente o caratê vai ser disputado em Olimpíadas. O caratê é o segundo esporte mais praticado no mundo, perdendo só para o futebol. Sendo olímpico vai abrir um leque de apoio e de maior visibilidade para os atletas. Falta agora saber como serão as regras e o processo classificatório”, afirma Eliezer Kouri, que também é presidente da Federação Paraense de Cultura e Artes Marciais (FPCAM), entidade filiada à Confederação Brasileira de Mix e Artes Marciais (CBMA).