Judocas paraenses vão disputar Parapan-Americano de Jovens

Os paraatletas paraenses Thiego Marques, da Aepa Aepa (Associação Esportiva e Paradesportiva do Sul e Sudeste do Pará), de Parauapebas, e Larissa Oliveira da Silva, da Asfam (Associação Souza Filho de Artes Marciais), de Belém, foram convocados pelo Comitê Paralímpico Brasileiro para a disputa da quarta edição dos Jogos Parapan-Americano de Jovens. O torneio será disputado em São Paulo, no CT Nacional Paralímpico, no período de 20 a 25 de março. Antes do Parapan, Larissa Oliveira vai disputar o Grand Prix Infraero de Judô Para Cegos, também na capital paulista, no início de março. Ela e outros três judocas da Asfam vão disputar esta competição com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

O Parapan vai contar com a participação de mil atletas na faixa etária dos 13 aos 21 anos, de 20 países. A competição terá 12 modalidades em disputa: atletismo, bocha, futebol de 5, futebol de 7, golbol, judô, halterofilismo, vôlei sentado, natação, tênis de mesa, basquete em cadeira de rodas e tênis em cadeira de rodas, único esporte que não será disputado no CT Nacional.

O Parapan será organizado pelo Comitê Paralímpico Brasileiro, sob a chancela do IPC (Comitê Paralimpico Internacional). O objetivo da delegação brasileira é manter o domínio da competição, como aconteceu nas duas últimas edições dos Jogos Parapan-Americanos de Jovens. A última edição dos Jogos oi realizada em Buenos Aires, na Argentina, em outubro de 2013, com 631 atletas de 16 países em dez esportes. O Brasil liderou o quadro de medalhas com 209 pódios, sendo 102 de ouro. A primeira edição do Parapan de Jovens havia sido em 2005, na cidade venezuelana de Barquisimeto, com atletas de dez países. Em 2009, 14 nações competiram em Bogotá, Colômbia.

Grand Prix - Antes do Parapan, Larissa Oliveira vai disputar o Grand Prix Infraero de Judô Para Cegos, em São Paulo, de 10 a 12 de março. Ela vai competir ao lado de outros três atletas da Asfam: Miquias Nascimento, Vagner de Oliveira e Ana Clara Maciel. Eles integram o projeto Dorinha, realizado pela Associação Souza Filho de Artes Marciais (Asfam) e que atende crianças em situação de risco social e deficientes visuais, autistas e portadores de Síndrome de Down.  A entidade vem aumentando o espaço para reinserção social e revelações de talentos.

Segundo a presidente da Asfam, Ana Cecília Moreira, a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) garantiu as passagens aéreas para a equipe paraense participar do GP Infraero. “A gente veio pedir apoio da Seel para custeio das passagens. O evento paga hospedagem e alimentação. A gente só estava precisando das passagens. Ana Cecília afirma que a expectativa é bastante positiva em relação à participação dos paraenses no GP e no Parapan. Ela afirma que Larissa Oliveira já está melhor adaptada à sua categoria, o que deve ajudar em sua performance. A judoca competia entre atletas de 48kg e passou para 52kg. No GP Infraero disputado em Belém, em novembro do ano passado, ela ainda não estava bem adaptada à mudança e acabou ficando na quinta colocação.