Governo do Estado garante apoio ao Campeonato Paraense de Futebol

O Governo do Pará garantiu nesta quinta-feira (15) o apoio do Estado para a realização do Campeonato Paraense de Futebol em 2015. O acordo foi definido durante reunião entre dirigentes dos clubes participantes, Federação Paraense de Futebol (FPF), Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), Banco do Estado do Pará (Banpará) e Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel).

No início do encontro, o chefe da Casa Civil da Governadoria, José Megale, destacou que foram feitos cálculos para manter o apoio que já ocorreu em versões anteriores do campeonato. “Todos têm acompanhado o esforço do governo para manter as contas equilibradas, já que a dificuldade das contas públicas é ponto comum em vários Estados, com a sucessiva queda de repasses de transferências federais por parte da União. Entendemos, porém, que o Parazão é um evento de integração regional importante. Assim, buscamos manter o mesmo padrão que estava sendo trabalhado, na ordem de oito milhões de reais”, destacou.

Megale ainda afirmou que “quando compreendemos as dificuldades do outro e o outro compreende as nossas, o diálogo fica muito mais razoável e com possibilidade de ser conduzido positivamente para todos”, disse. No acordo, assinado por todos os presentes e que irá subsidiar os termos dos contratos que serão assinados, ficou acertado que a Seel vai celebrar um convênio com a FPF no valor de R$ 1.312,2 milhão, que será aplicado no deslocamento dos times para as partidas, hospedagem e alimentação. Esse repasse será feito em quatro parcelas.

A Funtelpa manterá os termos das cotas de transmissão das partidas, no valor de R$ 2.956,8 milhões, mantendo-se as cláusulas do ano de 2014. Já o Banpará patrocinará um valor mensal de R$ 54,5 mil para o Clube do Remo e Paysandu e R$ 19,8 mil para os outros clubes, também mensalmente. O Parazão 2015 terá dois clubes a mais em relação à edição de 2014.

Atendendo a pedido dos demais oito clubes que participam do campeonato, será feita uma antecipação, após a celebração do contrato, de três das doze parcelas, para cobrir as despesas do início do campeonato, como contratações e outras. Além desse valor, o banco repassará R$ 120 mil ao campeão paraense de 2105, e, pela meritocracia, os três melhores colocados também recebem um valor em dinheiro. No total, o Banpará irá patrocinar os clubes e o campeonato com cerca de R$ 3.360.000.

Ficou acertado também, em comum acordo com os times, que o Banpará aceita que os clubes façam a substituição da marca do banco no espaço de propaganda na parte de trás das camisas dos times. Assim, os clubes poderão, quando fecharem contratos com outras empresas, buscar novos patrocínios.

Mangueirão – No fim da reunião, José Megale (foto abaixo) elogiou o diálogo saudável com os realizadores do campeonato. “Queremos ajudar a fazer um campeonato com muita competência para contemplar essa torcida apaixonada por futebol que temos em todo o Pará. Fizemos os ajustes que foram solicitados pelos clubes e acreditamos chegar a um bom termo para todos. Nossa intenção, realmente, é de propiciar a todos grandes espetáculos de futebol”, avaliou.

O chefe da casa Civil relembrou que o governo do Estado continua pensando no melhor para o torcedor, seja na questão do conforto dele no Mangueirão, seja na segurança, que será prioridade, seja para que o espetáculo seja privilegiado. Megale lembrou que, em 2014, o governo do Estado investiu na reforma completa do gramado do Mangueirão e recuperou a fiação elétrica do estádio. As novas catracas eletrônicas que serão instaladas já chegaram ao estádio e serão instaladas em breve.

No acordo também foi definido que será mantida a taxa de R$ 8 mil para que os clubes usem o estádio. “É uma taxa quase simbólica, que não cobre as despesas que temos para que tudo saia dentro do previsto durante as partidas. Temos custos altos, principalmente com manutenção”, disse a titular da Seel, Renilce Nicodemos. A secretária lembrou que a Seel retoma este ano o projeto Pacto de Paz, que busca a paz, segurança e tranquilidade no estádio, visando assim que as partidas de futebol sejam, realmente, um programa para toda família.

Diálogo – Para Odair Melo, presidente do São Francisco, de Santarém, no oeste do Pará, o apoio do governo é fundamental. “Sabemos de nossas dificuldades em participar da competição, mas também acreditamos que temos uma torcida apaixonada e que irá ao estádio para ver os times em ação. Nossa intenção é somar para que façamos um grande campeonato”, afirmou.

Para Clube do Remo e Paysandu, que iniciam o ano de 2015 com novos dirigentes, o diálogo entre governo e clubes é essencial. O presidente do Clube Remo, Pedro Minowa, elogiou a forma como as decisões foram conduzidas. “De alguma forma foi, para mim, uma certa surpresa como tudo foi conduzido. Acredito que esse tipo de ação só traz benefícios”, afirmou.

O presidente do Paysandu, Alberto Maia, colocou a diretoria do clube e seus colaboradores à disposição para futuras parcerias com o governo. “Nossa intenção é colaborar sempre. Se vamos ter um bom campeonato, o Paysandu vai ajudar nessa intenção”, afirmou.

O Campeonato Paraense de Futebol 2015 terá a participação de dez times: Clube do Remo, Paysandu, Paragominas, São Francisco e Tapajós (de Santarém), Cametá, Gavião Kyirkatejê (de Marabá), Castanhal, Independente (de Tucurí) e o Parauapebas. O Parazão se inicia no dia 1º de fevereiro. No dia 30 deste mês, haverá o lançamento oficial do campeonato, com local e horário a ser definido e que será informado posteriormente.

 

Dedé Mesquita - Ascom/ Seel

Fotos: Eliseu Dias - Agência Pará de Notícias