Copa Verde marca inclusão do Pará na rota do futebol sustentável

A noite desta quinta-feira (30) foi especial para o estivador Josué Lima, 50 anos. Depois de muito tempo ele pôde voltar a assistir a um jogo do seu time do coração, o Clube do Remo. Acompanhado da filha, de apenas sete anos, o torcedor azulino não precisou gastar um centavo para entrar no Estádio Olímpico do Pará, que recebeu o jogo entre Remo e Santos do Amapá, pelas quartas de final da Copa Verde. O ingresso foi adquirido mediante a troca por três garrafas pet, proposta sustentável do campeonato. “Queria que tivesse mais iniciativas como essa para que pessoas que não tem condições de comprar um ingresso, como eu, tivessem mais acesso a eventos esportivos. Estou muito feliz de estar aqui”, declarou.

A troca de garrafas pets por ingressos foi uma ação social da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), em parceria com o Ministério do Meio Ambiente, que antecedeu a realização do jogo e foi promovida pela primeira vez em Belém. Foram disponibilizados três mil bilhetes aos torcedores paraenses. O material arrecadado será destinado à Associação Nacional de Catadores de Resíduos Sólidos, como forma de geração de emprego e renda.

Essa é uma das ações da Copa Verde deste ano. Já foram arrecadadas milhares de garrafas pets em jogos anteriores a este no Acre, Maranhão e Mato. Em sua quarta edição, o campeonato reúne 18 equipes das regiões Norte e Centro-Oeste e do estado do Espírito Santo. É a primeira competição a adotar o conceito de sustentabilidade do Ministério do Meio Ambiente, que aproveitou a partida entre Clube do Remo e Santos, do Amapá, para alertar o público que acompanha os eventos esportivos sobre a crise hídrica no mundo.

As ações sustentáveis começaram desde a edição do ano passado e têm como objetivo despertar a consciência dos torcedores para a preservação ambiental. Denominada de Jogo pelas Águas, a partida entre Remo x Santos (AP) marcou a celebração do Mês das Águas na capital paraense. “Neste ano, escolhemos esse tema porque em março do ano que vem o Brasil vai sediar o Fórum Mundial da Água, em Brasília (DF), e queremos começar a chamar atenção para isso. Fizemos uma parceria com o Ministério do Meio Ambiente, que ficou encantado com o nosso projeto”, disse o consultor de sustentabilidade da CBF, Carlos Painel.

Para a realização do Jogo das Águas em Belém, o Estádio Olímpico do Pará recebeu, antes da partida, a visita do Ministro do Meio Ambiente, José Sarney Filho. Torcedor declarado do Maranhão Atlético Clube, ele se confessou um entusiasta da parceria com o futebol. “Assim que a CBF me apresentou a proposta da Copa Verde, eu me empolguei e abracei a causa. A gente sabe da importância da questão ambiental e da Amazônia para o mundo. E para conscientizar as pessoas, o futebol é o melhor caminho. Assim a gente associa o prazer e o lazer a uma causa séria, como é a da sustentabilidade”, defendeu o ministro Sarney Filho, que plantou uma muda de palmeira de açaí no Mangueirão.

Durante a visita o ministro foi recebido pela diretora do no Estádio Olímpico do Pará, Cláudia Moura, e pela secretária de Esporte e Lazer do Pará, Renilce Nicodemos. “Estou muito orgulhosa de ver o Pará incluído de uma forma tão marcante nessa rota verde. Nós só temos a agradecer à CBF e ao Ministério do Meio Ambiente por esse carinho com o nosso estado”, destacou a titular da Seel.

A presença de Sarney Filho em Belém também foi comemorada pelo secretário de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Luis Fernandes Rocha. “A vinda do ministro tem uma grande importância, não só por conta da Copa Verde, mas também pelo apoio que ele vem dando às ações de combate ao desmatamento na Amazônia, por intermédio de políticas públicas voltadas para esse problema”, ressaltou.

Concurso – Ainda por ocasião da visita ao Mangueirão, o ministro Sarney Filho fez o lançamento do II Concurso de Redação e de Vídeo da Copa Verde, com o tema “Rios Voadores”. Os vencedores serão conhecidos no dia 8 de maio e receberão passagens, estadia e alimentação para prestigiar a final da Copa Verde, no dia 17 de maio, em local ainda a definir.  Poderão participar alunos de escolas públicas de Mato Grosso, Distrito Federal e de três colégios do Pará, que ainda serão elencados.

A organização do concurso no estado ficará a cargo da Fundação Pro Paz, que ainda vai mobilizar junto aos alunos de seus polos, uma campanha para a arrecadação de garrafas pet. “É importante dar continuidade a essa parceria com a CBF, utilizando o futebol como ferramenta. Assim, motivamos a juventude associando o esporte a um tema tão urgente que é a consciência ambiental”, disse Jorge Bittencourt, presidente do Pro Paz.

O jogo - O Remo venceu o Santos de virada no Mangueirão. A equipe do Amapá surpreendeu e abriu o placar no primeiro tempo com Luciano, mas o Leão conseguiu empatar ainda na primeira etapa, com o atacante Val Barreto. A vitória azulina foi decretada no segundo tempo, com gol do zagueiro Henrique.

Remo e Santos voltam a se enfrentar na próxima terça-feira (3), no Estádio Olímpico Zerão, em Macapá. Um empate garante o time paraense na semifinal da Copa Verde. Um novo 2 x 1, só que dessa vez para o time da casa, levar a decisão para os pênaltis.

O campeão da Copa Verde estará classificado automaticamente para as quartas de final da Copa do Brasil de 2018.

Texto: Syanne Neno / Agência Pará

Foto: Thiago Gomes / Agência Pará