Campeonato mostra em Belém a força da nova geração da ginástica brasileira

O Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística Infantil foi encerrado neste domingo, dia 16, no ginásio da Uepa, com a cerimônia de premiação dos atletas. A competição foi disputada neste final de semana e reuniu 99 atletas de 19 clubes de sete Estados brasileiros e do Distrito Federal. Na classificação geral da categoria Infantil A Feminino, a campeã foi Julia Soares, do clube Cegin (Centro de Excelência de Ginástica), do Paraná. O Cegin (PR) foi o clube campeão no Infantil Feminino, seguido por Serc Santa Maria (SP) e Minas Tênis Clube (MG). No masculino, Erick Oliveira, atleta do Esporte Clube Pinheiros, de São Paulo foi o campeão na classificação geral individual da categoria Sub 12. Na Sub 14, o primeiro colocado foi Diogo Soares, do clube paulista Pira Plimpica. Na classificação por equipes, o campeão foi o Pinheiros (SP). O campeonato foi realizado pela Confederação Brasileira de Ginástica (CBG) e pela Federação Paraense de Ginástica (Fepagin), com apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) do Pará.

A competição foi marcada por apresentações de alto nível técnico, apesar da pouca idade dos participantes. Segundo o treinador Marcos Goto, a tendência da ginástica brasileira é subir em qualidade a cada geração. Ele afirma que a popularização do esporte no país ajuda na revelação de novos talentos: “Ainda é cedo para falar em grandes potenciais, mas o nível do masculino hoje está bem elevado, tanto nas categorias de base quanto no adulto. É uma tendência ter uma geração boa. Com um programa técnico que nós temos hoje, é para seguir uma linha de cada geração venha melhorando a cada ciclo. Nós vamos tirar qualidade de quantidade. Quanto mais praticantes nós tivermos, a possibilidade de encontrar mais talentos é maior. Depois da Olimpíada agora, a procura (pela ginástica) aumentou bastante”. Marcos Goto é técnico de Arthur Zanetti, que conquistou a medalha de prata nas Olimpíadas deste ano, no Rio de Janeiro. Ele também treina Henrique Medina Flores, que fez apresentações nos aparelhos argola e barra durante a cerimônia de abertura do campeonato em Belém e também no domingo, após o final das competições. Goto também afirmou que torce para que o Pará volte a competir em torneio nacional. Neste campeonato, nenhum ginasta do Estado conseguiu competir: “Espero que, com os equipamentos que foram doados pelo Ministério dos Esportes à Federação Paraense, seja feito um trabalho de base para que no próximo campeonato nacional o Pará possa voltar a participar”, afirmou Goto.

O Campeonato Brasileiro de Ginástica Artística Infantil é realizado anualmente pela CBG e foi disputado em Belém pela última vez em 2005. Este ano, os clubes participantes foram: Aigo - Associação Itajaiense de Ginástica Olímpica (SC), CT. G.A. Hortolândia (Valinhos/SP), Esporte Clube Pinheiros (SP), Apagro Criciúma (SC), Asbac (DF), Grêmio Náutico União (RS), Sesi (SP), Apam Setor Leste (DF), Serc Santa Maria (SP), ADC São Bernardo (SP), Academia Pira Olímpica (SP), Fundo de Assistência ao Esporte de Osasco (SP), Centro de Excelência de Ginástica do Paraná - Cegin (PR), Minas Tênis Clube (MG), P.M. de Jundiaí (SP), Funesp - Fundação Municipal de Esporte (MS), Núcleo de Ginástica Artística Gemini (RJ), Sogipa (RS), Adeco (SP) e C. R. Flamengo (RJ).

O torneio contou com disputas nas modalidades salto, paralelas, trave, solo, cavalo, cavalo sem alças, argola e barra. A competição foi oficialmente aberta na quinta-feira passada, com discurso da titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Renilce Nicodemos, que representou o governador do Pará, Simão Jatene. Em seu pronunciamento, ela destacou o momento especial que a modalidade vive hoje no Brasil e frisou a importância do trabalho da Federação Paraense de Ginástica (Fepagin), através do empenho de seu presidente, Agenor Paes, para o desenvolvimento do esporte no Pará e na realização da competição em Belém. 

Texto e fotos:  Antonio Darwich (Ascom/Seel)