Arena Guilherme Paraense empolga atletas e artistas

Fotos: Antonio Darwich (Ascom/Seel) A Arena Guilherme Paraense foi aprovada com louvor por atletas e artistas que participaram dos dois dias de eventos que marcaram a inauguração do mais moderno local de eventos esportivos e culturais do Estado. Ao entrar em quadra na sexta-feira (21), para o jogo de vôlei entre as estrelas paraenses e as estrelas nacionais, atletas de larga experiência internacional como Maurício Lima, bicampeão olímpico em Barcelona 92 e Atenas 2004; Marcelo Negrão, campeão olímpico em Barcelona 92; Nalbert, campeão olímpico em Atenas 2004; Hélia Souza, a “Fofão”, medalha de ouro e melhor levantadora nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008; não escondiam o assombro com a beleza e qualidade do ginásio. Boquiabertos, eles passeavam pela quadra da Arena apreciando o local e demoraram vários minutos até se concentrarem no aquecimento para a partida. Nalbert gostou tanto que foi o último a deixar a quadra, após muitos autógrafos e selfies, e afirmou que espera voltar para a quadra do Mangeirinho: “A arena é realmente maravilhosa, uma arena linda. Espero que o povo paraense possa aproveitar ao máximo e que grandes eventos venham pra cá. E eu espero poder voltar para cá em um destes eventos”, declarou Nalbert.

Para Marcelo Negrão, a Arena Guilherme Paraense tem qualidade para sediar jogos olímpicos: “Gostei muito da arena. O pessoal compareceu e curtiu o jogo e essa arena belíssima que o Pará tem. É uma arena maravilhosa, digna de sediar uma Olimpíada. Semelhante a essa no Brasil, só a de São Bernardo do Campo”, afirmou o atleta. “A gente sabia que estavam construindo um ginásio no Pará, mas ninguém imaginava que fosse alguma coisa com um nível tão grande de qualidade, é algo que só se encontra nos melhores ginásios do mundo”, dizia Maurício.

Para Helbert Oliveira, jogador da equipe paraense, foi uma honra participar do jogo inaugural da arena. “É um dos maiores ginásios do Brasil. A Arena é linda, espero que ela seja bem aproveitada, atendendo a região e difundindo o esporte e a cultura”, afirmou. Para o técnico da equipe paraense, Edilson “Mingau”, a infraestrura é de primeira qualidade. “Acho que é tudo de primeiro mundo, não deixa nada a desejar a nenhum ginásio do Brasil. Belém já tinha necessidade de uma arena grande como esta”, ressaltou o técnico.

A ex-atleta e treinadora de vôlei, a paraense Catarina Freire, estava emocionada após a partida: “Eu me sinto assim, prestigiadíssima, eufórica, por estar vendo um ginásio tão grande tão bonito, tão lindo como esse. É um momento muito importante para o esporte paraense. Todas as vezes que quiserem eu venho jogar aqui”, disse Catarina.

A acessibilidade do ginásio chamou a atenção da paratleta Débora Cristina da Costa, que integra a equipe All Star Rodas, de Basquete em Cadeira de Rodas. “Fiquei surpresa com o que vi. Os vestiários são todos adaptados, desde os chuveiros, pias, vasos sanitários, tudo perfeito para pessoa portadora de deficiência”, contou Débora ao revelar a alegria de participar do evento. “Já vivenciei outros ginásios fora do país, nem parece que estou em Belém, é realmente ‘coisa de outro mundo’. Estou muito feliz e orgulhosa de ter um ginásio desse nível aqui na nossa cidade. Como atleta, estou emocionada de estar fazendo parte de tudo isso aqui”, afirmou a paratleta Débora Cristina da Costa.

Na sexta-feira, o público também pôde assistir a programações culturais como a apresentação da banda de música do Corpo de Bombeiros e alunos do projeto Escola da Vida, desenvolvido pela instituição; grupos de carimbó, o time do All Star Rodas, Grupo de São Caetano de Odivelas, além de grupos de hip hop, percussão e coral formados por alunos do Pro Paz e free style, em uma noite de grande celebração do esporte e da cultura paraense.

O ponto alto da noite foi o jogo entre as seleções de campeões olímpicos brasileiros e paraense. Na escalação da equipe nacional, chamada de Embaixadores do Esporte, um time misto de atletas consagrados como Hélia Pinto (Fofão), Marcelo Negrão, Maurício, Nalbert, Sandra Pires, Helbert Oliveira, Maurício Nóbrega, Felipe Raniery e Fabiola Pires. Já a equipe paraense, sob o comando do técnico Edílson “Mingau”, foi representada por Gerson Monte, Elizabeth Matos (Beth), Alex Raposo, Marcelo Seixas (Papinha), Marcelo Santos, Mateus Malta, João Matheus, João Salim, Camila Brandão e Jarbas Simões. A partida terminou empatada em 1 set a 1. O primeiro set foi vencido pelos donos da casa, por 25 a 15. O segundo set contou com a vitória dos Embaixadores, por 25 a 19.

Foto: Mácio Ferreia / Agência Pará

A festa de inauguração do Mangueirinho continuou no domingo (23), com um grande show de artistas paraenses, o pianista Paulo José Campos de Melo, Fafá de Belém, Pinduca, Chimbinha, Almirzinho Gabriel, Lia Sophia, Nilson Chaves, Liah Soares, Manoel Cordeiro, Felipe Cordeiro, Edilson Moreno, Lucinha Bastos, Arthur Espíndola, Kim Marques, Arraial do Pavulagem, Andreia Pinheiro, Paulo André Barata, Mahrco Monteiro, Banda Xeiro Verde, Juninho Pop, Grupo de Dança Trilhas da Amazônia, Viviane Batidão, Fruto Sensual, Keila Gentil.

O pianista Paulo Campos de Melo, que tocou o hino do Pará na abertura da programação de inauguração, também se mostrou entusiasmado com o novo espaço cultural: “Esse espaço ficou realmente incrível. Com ele vamos poder atingir um número maior de expectadores”, afirmou. "A Arena ficou nota dez. Está maravilhoso. Ter uma obra dessa qualidade no nosso estado é motivo de orgulho. É a valorização do esporte e também da nossa cultura. Merecemos demais”, relatou Pinduca, animado. A cantora Fafá de Belém também comemorou a inauguração da praça esportiva e cultural. “Esperamos muito tempo por essa Arena, que é um marco. Ela será um polo de esporte e cultura e, consequentemente, de melhoria na vida das pessoas. Fazer parte desse momento com o povo da minha terra é uma honra e isso faz com que eu fique nervosa como se fosse me apresentar pela primeira vez”, afirmou a cantora que iniciou o show interpretando o hino do Pará.

Keila Gentil disse que espera que o espaço seja conservado para que sonhos sejam construídos. “Agora, que temos um espaço como esse, devemos cuidar. A população terá acesso ao esporte e cultura, e isso é importante. Preservar esse ambiente e sonho é fundamental”, destacou.

Com capacidade para receber 12 mil pessoas, a Arena permite a realização de eventos esportivos e culturais. Foi o que aconteceu neste domingo, com a apresentação de artistas regionais em um grande show de tributo à cultura paraense. O acesso à Arena foi gratuito mediante apresentação de ingressos, que foram distribuídos nas bilheterias da Arena Guilherme Paraense e no Theatro da Paz.

Ana Clara Maia, 45, assistiu aos shows acompanhada de sete amigos e gostou muito do que viu. “Estou impressionada. É bem sinalizada, limpa e confortável. O som é muito bom também. Obras dessa qualidade valorizam a área e isso é ótimo para quem mora nas proximidades”, reiterou. Segundo a organização do evento, cerca de 6 mil estiveram presentes nas arquibancadas da Arena para acompanhar as apresentações musicais.