Animação marca abertura de VI Jogos de Integração dos Idosos do projeto Vida Ativa

Animados pela música das crianças da oficina de percussão da Fundação Pro Paz, os idosos assistidos pelo projeto Vida Ativa da Secretaria de Esporte e Lazer (Seel) participaram da solenidade de abertura oficial dos VI Jogos de Integração, na manhã desta terça-feira, 24, no Estádio Olímpico do Pará – Mangueirão. A secretária Renilce Nicodemos esteve presente e deixou uma mensagem de carinho e otimismo para 2016, quando o projeto deverá crescer com a abertura de novos núcleos em Belém e o interior do Estado. O atleta Antônio Jorge Ribeiro conduziu a leitura do juramento dos atletas. Ainda houve desfile das delegações dos núcleos da Tuna Luso, Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa (Asalp) e do Grêmio Literário Português. A programação esportiva dos jogos segue nesta quarta-feira, 25; e quinta-feira, 26. O encerramento será na sexta-feira, 27, com festa dançante.

No primeiro dia dos jogos foram realizadas as provas de atletismo com corrida e revezamento de 100m na pista do Mangueirão. O resultado da competição será publicado posteriormente pelo site da Seel. Este é o sexto ano dos jogos, que visam à integração dos idosos que participam nos núcleos diversos do projeto. Segundo o professor Ewerton Souza, diretor do Departamento Técnico e de Gestão Esportiva da Seel, o projeto Vida Ativa é uma conquista das pessoas com idade acima de 50 anos e que por lei têm direito às assistências social e esportiva para melhoria da qualidade de vida. “O projeto Vida Ativa é uma vitória, pois está posto como Programa de Governo e visa à integração social e familiar, além de garantir gratuitamente o cumprimento de um direito social”, destacou o professor.

Para quem participa do projeto Vida Ativa não há contestação sobre sua influência positiva. O casal Francis e Elisia Roetheli é um exemplo. Eles estão casados há 37 anos e são pais de três filhos adotivos. Estão no projeto há dois anos frequentando as atividades do núcleo do Grêmio Literário Português. “Vemos muitos idosos ainda resistindo em ficar em casa. O projeto Vida Ativa abre possibilidade de integração social, de prática de lazer. Você não fica sozinho”, conta Francis, um aposentado norte-americano que está no Brasil desde 1967.

Ainda sobre o projeto,  Elisia espera uma ampliação mais voltada para as questões sociais, de voluntariado e de campanhas onde os idosos possam participar de maneira mais efetiva. “Temos que avançar socialmente. Eu participo da Pastoral da Criança e vejo as pessoas precisando de ajuda”, informou.

Festa – Os Jogos de Integração dos Idosos são festejados de todas as formas. Os participantes esbanjam simpatia e disposição para correr, caminhar e dançar. Durante a solenidade de abertura, as crianças da Fundação Pro Paz deram um show de musicalização e dança. Houve exibição do maculelê, de origem africana, xote bragantino e lundu marajoara. A música Asa Branca, do compositor Luiz Gonzaga, descontraiu o público.  

A descontração também marcou o primeiro dia de provas de atletismo. Uma das concorrentes, Rosângela Aquino, 51, representante do núcleo da Asalp, era só alegria. Ela conta que frequenta o projeto há quatro anos e nunca se arrependeu. Incentivada pelas atividades, ela trabalha, faz faculdade de Serviço Social e ainda cuida dos filhos e de uma neta de dez anos. “Eu gosto muito do que faço. A atividade física revigora e deixa a gente com muita disposição”, disse.

Os VI Jogos de Integração do projeto Vida Ativa seguem até quinta-feira, com provas de natação, e sexta com festa dançante. Vale lembrar que o projeto Vida Ativa funciona com atividades esportivas, de lazer, memorização e integração social em três núcleos de Belém e Ananindeua. O projeto funciona desde 1999 e ações são de graça.