“Jatobá” se firma na elite da canoagem brasileira

O atleta paraense Adilson Gomes Nascimento “Jatobá”, de 21 anos, se firma na elite da canoagem brasileira com resultados positivos em competições nacionais e internacionais. Este mês, ele conquistou três medalhas de bronze no Campeonato Brasileiro de Canoagem de Velocidade. A competição da CBCA (Confederação Brasileira de Canoagem) foi disputada em Curitiba (PR), entre os dias 22 a 25 de setembro. Ele ficou em terceiro lugar nas provas de K2 200m, K4 200m e K4 500m. “Jatobá” faz parte do programa Bolsa Talento, da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). Ele também contou com apoio da Secretaria para competir no Paraná, com passagens aéreas e suporte financeiro pra alimentação e hospedagem.

"Jatobá” já integrou a seleção brasileira por dois anos, em 2014 e 2015, quando foi medalhista de bronze no K4 200m sub-23 e prata no K4 200m sênior no Campeonato Sul-Americano, disputado no Equador no ano passado. Além disto, ele participou do Campeonato Mundial da Hungria em 2014 e ficou entre os 20 melhores da competição.

Foto: Antonio Darwich (Ascom/Seel)

Atleta do programa Bolsa Talento, da Seel, "Jatobá" vai disputar as seletivas da seleção brasileira de canoagem em 2017

 

Natural de São Domingos do Capim, “Jatobá” começou a praticar a canoagem por volta dos 12 anos e está agora de olho nas Olimpíadas de Tóquio de 2020, animado não apenas com os resultados, mas principalmente com o potencial que já percebeu que ele e o seu esporte têm: “Estou me dedicando totalmente aos treinos e às competições. Estamos todos muito entusiasmados com as medalhas olímpicas da nossa modalidade. As conquistas do Isaquias (canoísta baiano Isaquias Queiroz, que aos 22 anos se tornou o primeiro brasileiro a ganhar três medalhas em uma Olimpíada), que é um amigão, me animam muito. A minha expectativa é das melhores. Vamos trabalhar para chegar numa vaga olímpica, o que é difícil. Mas se conseguir me classificar, vamos lutar muito para chegar numa medalha em Tóquio, em 2020”, afirma “Jatobá”.

Foto: Fernando Gallo

As conquistas do baiano Isaquias Queiroz servem de inspiração para o canoísta paraense "Jatobá" (ao fundo)

 

A preparação de "Jatobá" está agora voltada para as seletivas de 2107 da seleção brasileira, para poder competir no Campeonato Sul-Americano, no Pan-Americano e no Campeonato Mundial. Com suas terceiras colocações no torneio nacional, ele poderá participar das seletivas, já que os nove melhores ganham o direito de disputar as provas que garantem vaga na seleção. A primeira seletiva será no dia 5 de abril, a segunda no dia 11 de junho e a terceira será no Campeonato Brasileiro, em setembro de 2017.

Para “Jatobá”, voltar para casa com medalhas no peito compensa todo o sacrifício que faz parte da rotina de atleta de ponta: “As medalhas olímpicas do Isaquias são fruto de muito trabalho. E é esta mesma dedicação que todos nós temos. É uma história que a gente vem construindo com sacrifício há muito tempo. Eu não resido no Estado com minha família, passo praticamente nove meses fora de casa, por ano. Então, é gratificante voltar pra casa com o fruto do nosso trabalho. O apoio da Secretaria é fundamental para conseguir esses resultados”, afirma o canoísta.

No Campeonato Brasileiro de Canoagem de Velocidade, em Curitiba (PR), “Jatobá” conquistou três medalhas de bronze: no K2 Sênior Masculino 200m, junto Rogério Queiroz, com o tempor de 00:00:34.204; no K4 Sênior Masculino 200m, com Pedro Costa, Gilmar Junior e William Souza, com o tempo de 00:00:32.036;  e no K4 Sênior Masculino 500m, ao lado de Pedro Costa, Gilmar Junior e Caio Souza, com o tempo de 00:01:34.328.

Foto: Fernando Gallo

O campeonato reuniu os melhores do Brasil e demonstrou o crescimento e a expectativa de evolução da canoagem nacional

 

O Campeonato Brasileiro de Canoagem Velocidade e Paracanoagem 2016 reuniu 357 atletas de vários Estados e serviu para a definição das Equipes Permanentes das modalidades. Foram disputadas 279 provas, sendo 121 finais, em categorias com canoístas entre 8 e 60 anos (Infantil, Menor, Cadete, Junior, Sênior, Máster e Paracanoagem). A competição teve organização da Academia Brasileira de Canoagem (ABraCan), com supervisão da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCA).
O campeonato reuniu os melhores atletas do Brasil e demonstrou o crescimento da Canoagem Brasileira e a expectativa de evolução para os próximos anos. A Associação Caxiense de Esportes Náuticos (Acen), de Caxias do Sul (RS), foi campeão geral da Canoagem Velocidade do Campeonato Brasileiro 2016 com 695 pontos. Em 2º ficou a Associação Cacaueira de Canoagem (ACC), de Ubaitaba (BA), com 619 pontos; e em terceiro a Associação de Canoagem de Itacaré (BA), com 519 pontos.