VI Desafio do Marajó será lançado com passeio ciclístico

 

O lançamento oficial do VI Desafio do Marajó, uma prova de resistência que será disputada por ciclistas no Arquipélago do Marajó, em novembro próximo, será com um passeio ciclístico, em duas etapas. A primeira será no próximo dia 23, à noite, no município de Cachoeira do Arari, e a segunda na manhã de sábado (25), em Soure, ambos no Marajó.

Os últimos preparativos para o evento estão sendo definidos em reuniões, realizadas na sede da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), um dos órgãos estaduais que está apoiando o evento.

Na manhã desta quinta-feira (9) houve mais uma reunião preparativa. “O grande objetivo do Desafio do Marajó é promover o turismo de aventura e natureza naquela região do Estado. Além disso, o ciclista paraense e o homem marajoara ganham em autoestima. Muitos dos participantes sentem vontade de voltar à região depois da prova”, disse João Vicente Penha, organizador do Desafio do Marajó.

Este ano, a Seel cederá toda a infraestrutura de transporte ao evento - um ônibus, uma caminhonete pick-up e um caminhão, veículos necessários durante a competição. A Secretaria também organizará a cerimônia de premiação e fornecerá o equipamento de som. Marcelo Gonçalves, gerente de eventos da Seel, destaca que neste ano, quando a Seel apoia o Desafio pela segunda vez, a infraestrutura cresceu.

A competição é reconhecidamente uma das mais difíceis do país na modalidade, de acordo com revistas especializadas. Em 2013, o paraense Eredir Velasco percorreu 40 km do percurso correndo. A distância corresponde ao segundo dia de prova. No primeiro dia são 90 km.

Cooperação - Este ano, a prova contará com no máximo 200 ciclistas, que sairão da cidade de Cachoeira do Arari no sábado (15), e chegarão a Soure no domingo (16). Cada equipe conta com três pessoas, em média, que auxiliam os ciclistas durante a prova. A comunidade é diretamente envolvida com o evento. Dez moradores auxiliam os ciclistas durante a prova, acompanhando o percurso em motocicletas.

Os competidores pernoitam em uma das fazendas da região, no primeiro dia. As fazendas fazem parte do percurso da prova, e em algumas é preciso autorização para a entrada dos competidores.

A ONG Argonautas, parceira da Seel e do evento, também contribui para o fortalecimento do papel social da prova. Na reunião desta quinta-feira, o coordenador da ONG, Antônio Santos (Toninho), acertou os últimos detalhes para mais uma participação da entidade no evento, que também esteve nos últimos Jogos Tradicionais Indígenas.

A premiação será uma medalha em artesanato marajoara, produzida por crianças do bairro Pacoval, de Soure, por meio de um projeto social para incentivar o esporte desde a infância.

A prova também será divulgada na maior feira de ciclismo da Europa, que ocorrerá em Portugal, entre os dias 17 e 19 de outubro. Esta é uma forma de aproximar o Pará da Europa, viabilizada pela instalação da rota Belém/Lisboa, em voo direto, operado pela companhia portuguesa TAP, que também apoia o evento.

Serviço:

VI Desafio do Marajó, dias 15 e 16 de novembro, entre Cachoeira do Arari e Soure, no Arquipélago do Marajó. Mais informações estão disponíveis no site www.desafiodomarajo.com, no qual também é possível fazer as inscrições.

 

Texto: Fabio Natel e Dedé Mesquita