SEEL firma parceria com UFRA para garantir qualidade do gramado do Mangueirão

O Estádio Olímpico do Pará, popularmente conhecido como Mangueirão, recebeu a visita do engenheiro agrônomo da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Walter Silvestre, na tarde desta segunda-feira (10). A vistoria foi resultado de uma parceria firmada entre a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) e a universidade, que teve como objetivo avaliar tecnicamente o gramado do estádio.

A diretora do estádio, Claudia Moura, explicou que a parceria com a Ufra é uma maneira de buscar soluções imediatas que garantam a qualidade do gramado e segurança aos jogadores no momento da partida. “O nosso maior interesse é deixar o gramado do Mangueirão cada vez melhor”, esclareceu.

Durante a análise, Walter informou que o procedimento ideal a ser feito em casos como este é a descompactação do solo, o que pode ser concluído em curto período de tempo. “A descompactação do solo é uma ação emergencial que oferecerá melhorias não só na qualidade do gramado, mas, também, facilitará o processo de drenagem da área”, revela. Este processo é simples e pode ser concluído no prazo de seis dias.

O engenheiro agrônomo explicou, ainda, que em período de chuvas intensas fica mais propenso a formar a camada de compactação do gramado, dificultando o movimento da água. “No período chuvoso se torna mais difícil a preservação de um gramado, pois a infiltração encharca a superfície do solo e isso dificulta tanto a prática do futebol quanto a sobrevivência da grama, já que ela precisa de altas taxas de oxigenação, disse.

Em fevereiro deste ano, o gramado do Mangueirão recebeu cerca de 500 metros quadrados de grama do tipo esmeralda imperial. Segundo o engenheiro agrônomo do estádio, Raimundo Mesquita, a reposição da grama nova nas áreas mais afetadas ofereceu melhorias consideráveis ao local. “Com a troca parcial da grama, já é possível perceber a diferença e isso vai proporcionar melhoras na atuação dos jogadores dentro do campo”, informou.

Diante das necessidades detectadas no momento da vistoria, a diretoria do Estádio Olímpico do Pará definiu que os demais serviços de manutenção a serem feitos no gramado serão realizados entre os dias 17 e 22 de março, período em que não acontecerão jogos no estádio.

Luana Valente - Ascom / Seel 

Data: 11/03/2014