Regata à vela marca o encerramento do Círio de Marapanim

 

 

 Na tarde desta segunda-feira, 18, foi realizada na cidade de Marapanim, região nordeste do Estado, a tradicional Regata à Vela, que faz parte da programação da festividade do Círio de Nossa Senhora das Vitórias, padroeira do município. Trata-se de uma tradição de 103 anos que se repete anualmente. A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) apoiou a regata este ano. A disputa serviu como uma prévia para a competição de canoagem que está na programação dos IV Jogos Tradicionais Indígenas, que será realizada na manhã do dia 9 de setembro, no distrito de Vista Alegre, também em Marapanim.

A regata, da qual participam somente pescadores artesanais, é realizada sempre uma semana após o Círio da padroeira, que ocorreu no último domingo, dia 10. A competição funciona também como o Recírio dos marapanienses e é feriado municipal. Participam da competição, além dos pescadores de Marapanim, trabalhadores de Magalhães Barata, Maracanã, Salinas, Vigia, Curuçá e Bragança, todos localizados na região conhecida como Salgado.

A coordenação da regata é da paróquia de Marapanim, por meio do padre Orlando Lopes da Costa. Os competidores recebem prêmios pelo primeiro, segundo e terceiro lugares, em dinheiro e em eletrodomésticos, além de troféus e medalhas.

Para a titular da Seel, Renilce Nicodemos, afirma que a tradição da regata é muito importante. “Ver como os pescadores se organizam e se empenham na promoção desta regata é de suma importância para que essa tradição não morra no município. E o importante também é como os moradores se organizam e se juntam para torcer pelos competidores”, disse a secretária.

A embarcação Soberana, de Marapanim, ganhou a regata em primeiro lugar. A festa religiosa do Círio de Nossa Senhora das Vitórias, em Marapanim, é patrimônio cultural imaterial, conforme Lei Estadual de número de 7348, do dia 7 de dezembro de 2009.

Dedé Mesquita - Ascom/Seel

Fotos: Ray Nonato - Ascom/Seel