Qualidade de vida na terceira idade é meta em programas de saúde do Governo

No Dia Nacional e Internacional do Idoso nada melhor do que investir em atividades que proporcionem uma melhor qualidade nessa fase da vida. Programas públicos realizados pelo Instituto de Assistência dos Servidores do Estado do Pará (Iasep) e da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) é possível encontrar diversos exemplos de incentivo ao bem estar físico, mental, psicológico e emocional na melhor idade.

Desde 2012, o Iasep desenvolve um programa de prevenção e qualidade de vida chamado "Vitalidade". Entre os cinco mil inscritos de Belém, Ananindeua e Castanhal, a ideia é estimular bons hábitos alimentares, a prática de atividades saudáveis e o controle dos níveis de pressão arterial e de glicose. Para isso, os idosos contam com o acompanhamento de geriatras, psicólogos, nutricionista, fonoaudiólogos e fisioterapeutas. O objetivo final do trabalho é de melhorar os níveis de atenção com este paciente e evitar internações recorrentes de segurados com mais de 60 anos.

Aos 72 anos, a aposentada Joana Alice Ferreira Durval, nem pensa em parar. Há mais de um ano frequenta o programa e participa das aulas de informática, musculação, pilates, música e estímulo cognitivo. “Eu venho de segunda a sexta, aqui. Já me formei em informática, o curso básico e estou muito feliz por isso. Era o que eu mais queria aprender e aprendi, graças a Deus! E faço outras atividades. É muito bom mesmo. Mudou muito a minha vida, mudou a minha saúde, no meu modo de viver, porque aqui somos recebidos com muito amor, carinho e alegria. Já trouxe até amigas pra cá. O tratamento é mesmo de excelência”, comenta.

A professora de matemática aposentada, Zaira Silva, de 69 anos, é outra frequentadora do espaço e soube do "Vitalidade" em uma visita ao dentista. “Fui a uma consulta ao dentista e por um acaso perguntei ao porteiro daqui se era o lugar certo. Fui logo bem recebida e aproveitei para conhecer o espaço, marquei avaliações e passei por quatro médicos, fiz a entrevista e comecei a fazer tratamentos aqui. Tenho um problema na lombar sério e faço todo o acompanhamento aqui. Faço fisioterapia, informática, canto e aulas de piano, violão e flauta doce. O tratamento aqui é cem por cento, desde a entrada, todos estão aqui sorridentes com a gente, tem o cafezinho com leite, fiz novas amizades, os professores são maravilhosos, de forma que estou me sentindo super bem, como se estivesse em casa”, conta.

O aposentado Raimundo Moraes de Andrade é outro representante desta turma que não para de buscar a saúde e o conhecimento. “Tem três meses que estou frequentando o espaço e melhorou muito. Tem um monte de coisas que não conhecia, aos 72 anos, e agora estou conhecendo. O instrumento, por exemplo, eu peguei pela primeira vez aqui. Antes eu não tive a oportunidade que estou tendo agora. Ocupando meu tempo que estava vazio demais e a família está apoiando”, fala.

Para a presidente do Iasep, Iris Gama, o grande trunfo no trabalho direcionado à melhor idade é o de prevenir o adoecimento, a internação e os cuidados no dia a dia do idoso. “O grande diferencial do Iasep é ser um plano que pensa nesse servidor que colaborou uma vida inteira com o estado e pode contar com um serviço de qualidade. O Governo do Estado, mais uma vez, está investindo na prevenção. Este é o grande mote. Por isso, ampliamos, agregamos e avançamos com programas tão especiais, como o Vitalidade. A gente entende que o caminho da saúde é este”, explica.

Outro programa destinado aos 254 mil servidores públicos e aposentados, dentro do Iasep, é o "Assist Lar". O projeto é voltado a pacientes que estão se recuperando de quadros graves de doenças mas, que já possuem condições de irem para suas residências. Estão nos serviços atendimento de fisioterapia, ambulância, fonoaudiologia, nutrição, psicologia, terapia ocupacional, serviço social e rota de curativos. Grande parte das, hoje, 369 pessoas acompanhadas pelo "Assisti Lar" são idosas. “No momento em que a pessoa tem condição de alta hospitalar mas, vai ficar acamado, o médico da alta prepara um laudo dizendo qual a condição daquele paciente e indica quais os profissionais necessários ao acompanhamento, por exemplo, o que apresenta sequelas de um AVC, que precisa de um fonoaudiólogo, fisioterapeuta. Aí o Iasep manda uma equipe até a casa para ver a estrutura, com assistente social, um psicólogo e, tendo condição, ele entra no programa e vai passar a ser assistido”, explica a diretora de Saúde do Iasep, Lúcia Souza.

Vida Ativa - O programa da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), com base na Lei número 8.842, da Política Nacional do Idoso e no Estatuto do Idoso de 2003, tem o intuito de desenvolver atividades de esporte, saúde e lazer orientadas para pessoas acima de 50 anos. Hoje, cerca de 1800 pessoas participam das atividades, distribuídas nas sedes do Clube do Remo, na Tuna Luso (foto acima), na Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa (Asalp), no estádio Mangueirão, Grêmio Literário e no Hospital Abelardo Santos.

Há 14 anos, o Vida Ativa oferece gratuitamente atividades como hidroginástica, alongamento, memorização, aerodança, natação, ioga, caminhada e ginástica. Além disso, são realizadas oficinas de bijuterias, flores, canto, dança folclórica e turismo social. É possível ainda fazer o acompanhamento médico com uma equipe formada por um geriatra, um enfermeiro, uma odontóloga, um nutricionista, enfermeiro e técnico de enfermagem.

“O objetivo principal é o envelhecimento saudável e o idoso que participa das atividades sente-se mais ativo, participativo, seguro, confiante. Mexe mesmo com a autoestima dele. No projeto, esse idoso faz novos amigos e assume o compromisso de cuidar da sua própria saúde e do social, o que é fundamental. A gente percebe que o idoso de hoje está mais ativo na sociedade. Hoje ele acompanha, participa, vai a eventos, compartilha alegria. É muito mais participativo, completamente diferente do idoso de outros tempos”, fala Kátia Rocha, coordenadora do programa Vida Ativa na Terceira Idade.

Nova Uapi - A nova Unidade de Acolhimento à Pessoa Idosa (Uapi) Socorro Gabriel está em fase finalização. O espaço, que foi reformado e ampliado, é administrado pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e irá contar com dois blocos de enfermaria, sala de fisioterapia, setor administrativo, lavanderia, cozinha, restaurante, capela, área de lazer e horta.

O investimento, de mais de 2 milhões de reais, tem previsão de término das obras para o início de dezembro e terá capacidade para abrigar 50 idosos. O novo prédio será construído em uma área de 3.720 metros quadrados, sendo 2.610 metros quadrados de área construída. O projeto contempla as normas de acessibilidade previstas na lei 10098-2000, de 2007, que determina, entre outras exigências, o uso de rampas, largura ampliada de portas, barras nas paredes para facilitar a locomoção e evitar quedas, banheiros com barras e tamanho ampliado, para que o idoso possa usá-lo individualmente sem precisar de auxílio de um técnico.

“Essa unidade tem um diferencial de ser totalmente adaptada, e que vai atender todas as necessidades desse idoso, independente ou dependente, porque vai atender todos os critérios de acessibilidade. Essa é uma marca dessa unidade, que realmente se preocupa com o bem estar dos idosos e ainda sendo uma referência nacional, porque dificilmente se encontra um espaço como esse Brasil afora”, diz Charles Tuma, coordenador do setor de alta complexidade da Seas.

Quanto a equipe técnica, o abrigo oferece enfermeiro, técnico de enfermagem, fisioterapeuta, terapeuta ocupacional, nutricionista, médico, psicólogo, assistente social, cuidadores de idosos e fonoaudiólogo. “Este será um abrigo para pessoas idosas abandonadas, mas já com bastante dependência, com um grau de severidade de saúde mais avançada (...) Ele vai se transformar em um abrigo modelo. É uma excelência de trabalho que a gente está fazendo em todas as instalações. Vamos transferir os idosos que já estão em outro espaço antigo nosso para esse novo, de acordo com a legislação e adequações de espaços físicos internos e externos, com acessibilidade. Temos uma grande equipe de trabalho que cuida desses idosos e eles serão transferidos para esse novo espaço também”, conta a secretária em exercício da Secretaria de Estado de Assistência Social, Meive Piacese.

Serviço:

Vitalidade - Para participar, os interessados devem ter acima de 60 anos. Os agendamentos e consultas para o Programa serão feitos pelo Hospital Oftalmológico Dra. Cynthia Charone, pelos telefones 3352-3700/3085-0817 ou pela clínica de Assistência Médica Geriátrica Especializada, pelo telefone 3241-5945

Assist Lar - Os interessados devem procurar a unidade do Iasep, localizada na Avenida João Paulo II, 277. Marco. Das 8h às 15h.

Vida Ativa na Terceira Idade - Para se inscrever no programa é preciso ter acima de 50 anos e levar os seguintes documentos: cópia da carteira de identidade, duas fotos 3x4, comprovante de residência, atestado médico cardiológico. Os núcleos de inscrição funcionam na Tuna Luso Brasileira (avenida Almirante Barroso, 4110, Sousa), Associação dos Servidores da Assembléia Legislativa – Asalp (rodovia Mário Covas. Passagem São Jorge, 21, Coqueiro) Estádio Olímpico do Pará (rodovia Augusto Montenegro, Km 3), Clube do Remo (avenida Nazaré, 962, Nazaré) e Hospital Abelardo Santos (rodovia Augusto Montenegro, Km 13, Icoaraci).

Texto: Ana Paula Bezerra - Agência Pará de Notícias

Foto: Cláudio Santos - Agência Pará de Notícias