Programa Pará Aquático treina professores para incentivo à canoagem

Mais uma etapa de treinamento para instrutores do programa Pará Aquático começou na manhã desta quarta-feira (5), em Belém. A iniciativa é do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), e visa preparar e promover futuros atletas de canoagem. O treinamento está sendo realizado na antiga sede da siderúrgica Copala, na Avenida Bernardo Sayão, bairro do Guamá, com aulas teóricas e práticas, ministradas por instrutores da Federação de Canoagem do Estado do Pará (Fecaep) e da ONG Argonautas, além de técnicos da Seel. O treinamento atual é direcionado aos professores de Abaetetuba (município da Região do Baixo Tocantins), onde o projeto foi implementado em maio deste ano.

O programa Pará Aquático é executado pela Seel, em parceria com as prefeituras dos municípios onde as atividades serão desenvolvidas. As ações do programa prevêem a doação à comunidade ribeirinha de kits, que incluem caiaques-escola, remos e coletes salva-vidas, para incentivar a prática da canoagem. Os professores que estão sendo capacitados voltarão a seus municípios e repassarão as técnicas aos alunos, que serão multiplicadores dos ensinamentos.

Em março deste ano, a Seel doou 59 caiaques, seis barcos de grande velocidade e 10 canoas olímpicas para a Federação de Canoagem e à ONG Argonautas, o que garantiu a expansão do projeto Pará Aquático para várias regiões do Pará onde predominam rios, praias, lagos e igarapés propícios às práticas aquáticas.

Ampliação - O programa já foi implantado nos municípios de São Domingos do Capim, Portel, Ponta de Pedras e Abaetetuba. O próximo a receber o programa será Paragominas, na região nordeste. A expectativa da Seel é que, até o final do próximo ano, mais sete núcleos do programa Pará Aquático sejam implantados no Estado.

Evaldo Malato, presidente da Fecaep e um dos instrutores da capacitação, destacou os avanços do programa. “Nossa meta é que a canoagem tradicional ganhe mais adeptos no Pará. Sabemos do potencial do povo ribeirinho, porque os moradores nascem praticamente dentro de canoas. O nosso intuito é repassar a eles as técnicas e, quem sabe, descobrir campeões”, afirmou.

A Seel desenvolve o programa há alguns anos. Mas as atividades foram paralisadas, sendo retomadas no início deste ano. “Ficamos um pouco decepcionados por vermos tanto potencial em nossos ribeirinhos, mas que ainda não é devidamente aproveitado. Ficamos tristes quando percebemos que nunca tivemos aqui um campeão nacional de canoagem”, enfatizou Márcia Corrêa, técnica da Seel e integrante da coordenação do Pará Aquático.

O treinamento prossegue nesta quinta-feira (6), com a presença de integrantes do Corpo de Bombeiros nas aulas práticas de canoagem, realizadas no Rio Guamá.

 

Texto: Dedé Mesquita - Ascom Seel

Foto: Cláudio Santos - Agência Pará de Notícias