A Paz prevaleceu no Re-Pa

O sistema de segurança para o Clássico da Amazônia permitiu que o público prestigiasse mais um belo espetáculo

 

Por dentro e pelo entorno do Mangueirão a vigilância estava atenta e não se limitou até mesmo ao gramado, onde as duas equipes disputavam o primeiro jogo da decisão do primeiro turno do Parazão. Os jogadore que fizessem ou venham fazer alusões aos símbolos das torcidas ornaizadas, como, Bicolor e Jovem Bicolor do Paysando; Piratas Azulinos, Pavilhão 6 e Organizada Remista, proibidas por decisão conjunta entre Ministério Público, polícias Militar e Civil, por provoverem desordem e violência dentro e fora dos estádios, serão enquadrados dentro das formalidades da justiça. Disse o tenente-coronel Simão Sali Júnio, sub-comandante de policiamento da capital.

A exemplo, houve duas pessoas flagradas vendo ingressos falsos que foram julgadas pelo Tribunal Especial a 6 meses não frequentar os estádios e nos dias jogos paraticiparão de palestras disciplinares.

JOGO

O Paysandu não resistiu aos acréscimos da partgida e cedeu, nos 46 do segundo tempo, o empate aos azulinos que, no próximo dia 03 enfrentam os bicolores com a vantagem do empate. Já o Papão, para levantar a Taça Cidade de Belém, precisa vencer o Leão por um considerável número de gols.

1º tempo

O Remo começou atacando, mas foi o Paysandu que saiu na frente do placar. Logo aos 34 minutos do primeito a torcida foi agraciada com o chute de primeira do camisa 7 Bicolor, João Neto, sem defesa para o goleiro remista. Paysandu 1 x 0.

2º tempo

O Paysandu mostrou-se mais harmônico, principalmente com a substituição de Galhardo por Ramon, que ainda não rendeu à sua contratação pelo clube azulino, mesmo assim o Papão não resistiu aos acréscimos e cedeu ao Leão a oportunidade de igualar o placar, aos 46 minutos, com Zé Antônio, que acertou o travessão antes da bola entrar. Paysandu 1 x Remo 1.

Para o promeiro jogo da Taça Cidade de Belém 33.668 torcedores pagaram para prestigiar que gerou renda de R$ 909.600,00, sendo que teve 2.610 somando um público de 36.278 espectgadores.

O secretário Marcos Eiró (SEEL) que as cabines das rádios FMs Metropolitana, Princesa e Sorriso, recepcionou o vice-govenador do Estado do Pará para mais um Clássico da Amazônia, onde poderam também perceber o contigente da segurança dentro e fora do Mangueirão. Tudo muito tranquilo de acordo com as polícias Militar e Civil.

Para a próxima partida, 3 de março, que vai de cidir quem vai levantar a Taça Cidade de Belém, todo aparato de segurança será mantido nas imediações e dentro do estádio. Desta vez, o policiamento vai se estender por toda a Região Metropolitana, desde o bairro do Jurunas a Santa Iazabel do Pará, combatendo a violência e garantindo segurança ao público, segundo Simão Salim, que pede aos torcedores que evitem levar para o jogo material, como latinha de bebidas, garrafas e fogos. Tudo será apreendido e tudo será feito para garantir o grande espetáculo, confirma o tenente-coronel.

Marco Souza - Ascom/Seel