Paraense Isaac Rodrigues é campeão mundial de boxe profissional

 

O Pará e o Brasil têm um novo campeão mundial de boxe profissional internacional. Na noite da última sexta-feira, 5, um público apaixonado e vibrante compareceu ao Hangar – Convenções e Feiras da Amazônia e assistiu à vitória do paraense, nascido em Mocajuba, região do Baixo Tocantins, Isaac Rodrigues, sobre o mexicano José Pinzon, por nocaute, no oitavo round, numa luta prevista para 12 assaltos. O incontestável preparo físico e técnico de Rodrigues não deixou dúvidas sobre quem era o grande campeão da noite.

A luta de Isaac e Pinzon foi a sétima e mais importante de uma série de embates na noite de sexta-feira. A disputa mundial do cinturão da categoria Médio foi realizada, pela primeira vez, em Belém. A organização do evento é da Word Federation Boxing (WFB), em parceria com a Federação Paraense de Boxe, patrocínio do Banpará, e apoio do Governo do Estado, por meio das Secretarias de Estado de Esporte e Lazer (Seel), de Saúde (Sespa) e de Comunicação (Secom).

A luta principal começou um pouco antes de meia noite. A luta, prevista para 12 rounds, terminou no oitavo, quando Isaac conseguiu acertar uma série de golpes em Pinzon, que não resistiu e caiu no ringue. Com a contagem dos 10 segundos regulamentares, e com Pinzon não conseguindo mais retornar à luta, Isaac foi declarado vencedor, aos 20 minutos deste sábado, 6.

Pinzon foi um oponente à altura do vencedor. Mesmo com um corte no rosto, que sangrava bastante desde o quarto round, Pizon conseguiu levar a luta até o nocaute que sofreu. Com uma compleição menor que a de Isaac, o mexicano soube explorar a sua envergadura, que lhe permitiu golpes certeiros e diretos em Isaac.

Mas a noite era do paraense. A torcida não se conteve e aos gritos de “Isaac, Isaac, Isaac...” acabou invadindo o ringue, carregando nos ombros o campeão mundial e o treinador dele, Ulysses Pereira.

Isaac estava muito emocionado. “Aqui é Isaac Rodrigues, e quem manda aqui sou eu”, gritou, em meio a abraços emocionados. O atleta agradeceu a todos os apoiadores do evento, mas dedicou uma menção especial aos amigos e parente que vieram de Mocajuba. “Quero mandar o meu agradecimento ao pessoal da minha cidade. Sei que veio muita gente de Mocajuba e quero que eles saibam que esse título mundial é também deles”, avisou Isaac. “Essa é uma vitória nossa, do Brasil, de Belém. Ganhar por nocaute mostra a seriedade do nosso trabalho, da nossa força e da nossa união. Vocês, assim como eu, são campeões do mundo também”, completou.

Aos 30 anos, com 1,78 metros e 72,40 kg, Isaac teve que passar por uma dieta alimentar rigorosa para ficar dentro do peso da categoria Médio. Em maio deste ano, ele se consagrou campeão latino americano dos Super Médio, em uma vitória contra o também mexicano Eduardo Tercero, que atualmente treina em Belém, na academia Ulysses Pereira.

Retorno - A noite de sexta-feira também foi de revelação de uma surpresa. O pugilista baiano Acelino “Popó” Freitas, tetracampeão mundial em duas categorias de boxe profissional, e que estava em Belém prestigiando a disputa internacional, disse que está de volta aos ringues. Popó, que atualmente é deputado federal pelo estado da Bahia, abandonou o boxe há cinco anos. “Vou voltar. A preparação é longa, mas eu vou encarar. E venho me preparar aqui em Belém, esta cidade que sempre me apoiou, e quero lutar aqui”, avisou.

Popó pediu que um recado dele fosse transmitido ao governador Simão Jatene. “Governador, eu sei que em breve, Belém vai ter um dos melhores ginásios de esporte do Brasil. Sei que a capacidade vai ser de 12 mil lugares, eu quero inaugurar esse ginásio com uma luta minha, e peço que a entrada do público seja de graça”, pediu o pugilista, referindo-se ao ginásio poliesportivo do Complexo de Esporte do Mangueirão, também chamado de Mangueirãozinho, que em fase de conclusão das obras de construção civil.

As disputas preliminares à luta final entre Isaac Rodrigues e José Pinzon também tiveram fortes emoções. Na penúltima luta, entre o paulista Licélio Lúcio e Eduardo Tercero, categoria Super Médios, até 76, 36 kg, a vitória foi do mexicano Tercero (foto abaixo) , da academia Ulysses Pereira, por nocaute técnico.

Na quinta disputa, vitória de Wendell Guedes, por nocaute técnico, contra Geovane Borges. Na quarta luta, o vencedor foi Jefferson Silva, da academia Ulysses Pereira, por nocaute técnico no segundo round, sobre Cris Ferreira, pela categoria Leve, até 58,97 kg.

Na terceira disputa, vitória de Tadeu Pantoja sobre Luiz Eduardo; na segunda, na luta mais rápida da noite, Jackson Furtado vendeu por nocaute Marcio Eduardo (Binho), ao tempo de um minuto de luta; e na primeira, Welligton Carvalho venceu Jonas Lima, por pontos.

A última vez em que um brasileiro foi campeão mundical de boxe profissional foi em janeiro de 2004, com Acelino “Popó” Freitas, que derrotou o Artur Grigorian, do Uzbequistão.

 

Texto: Dedé Mesquita - Ascom Seel

Fotos: Sidney Oliveira - Agência Pará de Notícias