Obras no gramado do Mangueirão entram na reta final

 

A troca do gramado do Estádio Olímpico do Pará (Mangueirão) está quase totalmente concluída. Na última semana, houve o primeiro corte da grama que foi plantada, que é do tipo Bermuda Celebration, que tem certificação da Fifa. Também foi iniciado o nivelamento final. Além disso, após a realização do Grande Prêmio de Atletismo, no dia 10 deste mês, houve duas pulverizações de material para controle de pragas que poderiam vir a atacar o gramado.

A fase atual consiste em retirar os excessos que a grama ainda possui. O termo técnico utilizado é “empolamento”. “É como se o solo possuísse ‘alergias’, como na nossa pele, e a máquina fosse a ‘pomada’ para curá-la”, exemplificou o engenheiro agrônomo e responsável pela manutenção do gramado, Raimundo Mesquita. “O próximo passo é a utilização de uma máquina, que propicie corte helicoidal”, completou. Essa máquina de corte chegará em breve, assim como um novo descompactador de solo.

A etapa seguinte é conhecida como “Top Dress”, que consiste em cobrir o gramado com areia para que então uma máquina com mira a laser nivele o piso, distribuindo este material adequadamente.

Após o término destas obras, o gramado ficará outros dois meses sob a responsabilidade da empresa Green Gramados Esportivos, com sede em Minas Gerais, para só então retornar à tutela da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). A Seel, nesta fase, atua como fiscalizadora do trabalho realizado pela contratada.

As obras de reforma do Mangueirão se iniciaram em junho deste ano, com a troca do gramado. Outras obras de engenharia também estão sendo efetuadas no local, como a troca das catracas eletrônicas, substituição e recuperação do telhado, revisão completa do projeto elétrico de alta complexidade e pintura geral. A previsão é que as obras completas e concluídas sejam entregues na segunda semana de outubro deste ano.

Dedé Mesquita - Ascom/ Seel

Foto: Fábio Natel - Ascom/ Seel