Natação e canoagem marcam sexto dia de competição

Na manhã desta terça-feira, 9, uma multidão se concentrou em frente ao cais do porto da comunidade de Vista Alegre, em Marapanim, nordeste do Estado, para acompanhar de perto as competições de canoagem e natação dos Jogos Tradicionais Indígenas do Pará. Dedicado aos esportes aquáticos, o sexto dia do evento reuniu 13 etnias para competir nas águas barrentas do rio Cajutuba. Antes de iniciar a maratona esportiva, uma apresentação de flyboard, promovida pela Organização Não Governamental Argonautas animou o público, mostrando as habilidades de um especialista impulsionado por jatos de água capaz de atingir 10 metros acima da água.

Após a demonstração do novo esporte aquático, foi a vez das mulheres entrarem na água na disputa de natação. Pintadas para a guerra e com adereços característicos de cada etnia, as mulheres disputaram a prova com muita agilidade, enquanto eram aclamadas pelas torcidas concentradas às margens do rio. “Quando algum atleta da nossa aldeia participa de qualquer competição, a gente faz questão de estar presente para torcer, vibrar e mandar energia positiva através de nossos rituais”, conta Aldilo Kaba Munduruku, treinador da equipe de natação da etnia Munduruku.

Na chegada, a atleta da etnia Asurini do Xingu levou a melhor e venceu a prova. O segundo e terceiro lugares ficaram com as mulheres das etnias Gavião Kykatejê e Kayapó. Na modalidade masculina, o primeiro lugar ficou com o jovem Rahagre, 23 anos, da etnia Gavião Kykatejê, que há 13 anos participa de competições de natação. “Com essa vitória, eu honro mais uma vez o nome do meu povo. Graças à ajuda deles, eu cheguei a esse resultado e agora já somo dez vitórias desde que comecei a competir”, comemora o atleta da etnia Gavião Kykatejê.

Na prova da canoagem – disputada apenas na modalidade masculina, a competição foi dividida em três baterias. Com remo e canoa, os indígenas mostraram sua força e habilidade com a embarcação. Em uma disputa acirrada, os atletas da etnia Parkatejê garantiram o primeiro lugar na modalidade. A segunda colação ficou com os guerreiros da etnia Tembé.

Para garantir a segurança dos atletas, uma equipe do Corpo de Bombeiros realizou a fiscalização de toda a prova, dentro e fora do rio Cajutuba. Os XIV Jogos Tradicionais Indígenas do Pará seguem até quarta-feira, 10, no distrito de Marudá. O evento é uma realização do Governo do Estado, via Secretaria de Esporte de Lazer (Seel), em parceria com o Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena.

Texto: Adisson Ferrera – Agência Pará de Notícias
Foto: Sidney Oliveira – Agência Pará de Notícias