Livro sobre surf na pororoca celebra os quinze anos de sucesso desse esporte

 Quem quiser conhecer ainda mais sobre a prática do surf na pororoca já tem um livro que mostra esse esporte em toda a sua beleza e complexidade. Na noite desta terça-feira, 1º, foi lançado o livro “Auêra-Auara - A História do Surf na Pororoca”, um projeto da Associação Brasileira de Surf na Pororoca (Abraspo), com idealização de Noélio Sobrinho. A Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel) apoiou o lançamento, que foi realizado no galpão 3 da Estação das Docas.

O livro mostra como cinco jovens surfistas decidiram domar a grande onda em 1997, no município de São Domingos do Capim, no nordeste do Estado. Em 1999, em uma primeira ação da recém-criada Seel, o surf na pororoca passou a constar do calendário de eventos da secretaria e no da Companhia Paraense de Turismo (Paratur). Dessa maneira, há quinze anos é realizado o Campeonato de Surf na Pororoca, no qual surfistas, a comunidade e a prefeitura local se unem para promover o esporte e o turismo de aventura.

O texto do livro é do jornalista Paulo Silber, com imagens dos fotógrafos Paulo Santos, Raimundo Paccó, Rick Werneck, Dênis Sarmanho, Natinho Rodrigues, Antony Colas, Nicolas Picat e Vianei Bentes. São 200 páginas, nas quais os principais personagens dessa história relembram os episódios marcantes de um esporte que nasceu sob o signo do despojamento e ganhou a estatura do empreendimento. As grandes ondas são registradas nos rios dos municípios Araguari (AP), Amazonas e Capim (PA), Mearim e Pindaré (MA) e a caçada internacional às pororocas da França, China e Indonésia.

Ana Júlia Chermont, diretora do Departamento de Eventos da Seel, representou a secretária Renilce Nicodemos no evento. Ela fez um apanhado sobre o surf na pororoca, que foi e continua sendo um cartão de visitas da Seel. “O campeonato de surf na pororoca deu uma grande visibilidade à Seel. A secretaria apoiou todas as edições do campeonato, em todos os lugares onde ele é realizado. Apoiamos o campeonato local e o nacional”, disse a diretora.

O surf na pororoca é também um grande motivador do turismo no Pará. Quem faz essa afirmação é Fátima Gonçalves, que representou o titular da Secretaria de Estado de Turismo (Setur), Adenauer Góes, no lançamento. “Por meio do campeonato, começamos a investir no que chamamos de turismo de rota. São rotas turísticas que pretendemos incentivar, não só no Pará, mas também no Amapá e Maranhão”, informou. Fátima disse que uma parceria entre a Setur e a Abraspo está sendo iniciada e que haverá muitas novidades nesse segmento.

Para Noélio Sobrinho, o livro é a realização de um sonho. “Entre nós, que decidimos ‘domar’ a pororoca, escolhemos esse termo indígena Auêra-Auara, que quer dizer ‘boas vindas, bons fluídos’. Pra mim, a pororoca é mais que um esporte, é um estilo de vida, e fico feliz que tenhamos tantos adeptos desse esporte”. Noélio foi o responsável de mostrar aos atores da Rede Globo Marcelo Novaes, Marcelo Serrado e Rodrigo Santoro, além do apresentador Luciano Huck, os mistérios e a emoção da pororoca. O quarteto foi testar seus desempenho e resistência nas ondas da pororoca no rio Araguari, no estado do Amapá, no ano passado.

No lançamento do livro, estiveram presentes muitas pessoas que foram pioneiras na realização do Campeonato de Surf na Pororoca, como Amaro Klautau, que foi o primeiro titular da Seel.

Todos os 100 exemplares do livro “Auêra-Auara - A História do Surf na Pororoca” disponíveis no dia de lançamento foram vendidos. Outros exemplares podem ser adquiridos com Noélio Sobrinho. O telefone de contato é (91) 8166 7005.

Dedé Mesquita
Assessoria de imprensa da Seel

Foto: Eunice Pinto/ Agência Pará de Notícias