Helenilson Pontes elogia o desempenho de atletas paraenses em competições‏

O vice-governador Helenilson Pontes destacou o papel do esporte como instrumento de inclusão social e ressaltou os investimentos feitos pelo Governo do Estado nessa área como forma de combater a pobreza e as desigualdades em seu discurso, na noite de quinta-feira, 28, durante a assinatura do Termo de Adesão de mais 159 atletas ao Programa Bolsa Talento. A solenidade, ocorrida no Espaço São José Liberto, em Belém, contou com a presença do titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, Vitor Miranda, do deputado federal Wladimir Costa, do secretário municipal de Esporte, Juventude e Lazer, Thalles Belo, e da carateca paraense Daniela Tanaka, que representou os demais atletas atendidos pelo projeto.

O programa beneficia atletas em várias modalidades, como basquete, judô, luta romana, vôlei, natação, atletismo, tênis de mesa, esgrima, kung fu e muay thai, entre outras. Todos recebem mensalmente da Seel uma bolsa-auxílio para custeio de gastos com alimentação, transporte, vestuário, equipamentos e outros itens necessários à prática esportiva.

"Vemos aqui atletas paraenses que se destacam nacional e internacionalmente em suas modalidades e que, a despeito de todas as dificuldades, superaram seus desafios e conseguiram resultados expressivos, elevando o nome do Pará. A maior riqueza que o nosso estado possui é o seu povo, e esse mesmo povo precisa ter do que se orgulhar. E os atletas paraenses são uma de nossas fontes de orgulho, nesse sentido o governo tem procurado fazer a sua parte ao beneficiar, por meio desse programa, os talentos da terra, e promover a melhoria da autoestima da população através desses atletas", ressaltou o vice-governador.

O Programa Bolsa Talento foi implantado no Pará em 2000. Sua principal proposta é estimular o desenvolvimento físico, social e psicológico do atleta, trabalhando com as modalidades semi-olímpicas, olímpicas, amadoras e paralímpicas. Com o projeto foi possível manter e aumentar o número de atletas que representam o Pará em competições regionais, nacionais e internacionais. O Termo de Adesão é mantido entre o atleta e a Seel pelo prazo de um ano. O critério para permanência no programa é o rendimento nas competições; para isso as federações esportivas de cada modalidade controlam os relatórios de rendimento do atleta e o enviam regularmente à Seel.

Para o secretário de Esporte e Lazer do Pará, Vitor Miranda, desde  a criação do programa vários os atletas tiveram a oportunidade de desenvolver suas habilidades e superar seus próprios recordes, melhorando seu desempenho a cada competição e mostrando ao Brasil e ao mundo que o esporte paraense tem muito a mostrar. “A Seel tem planos de ir mais além e vai criar o Bolsa Olímpica. O objetivo é preparar talentos paraenses para competir nos jogos olímpicos de 2016”, revelou Miranda, que ressaltou o retorno dos Jogos Indígenas, no próximo ano. Durante a cerimônia de assinatura do Termo de Adesão ao Bolsa Talento, os atletas receberam uniformes esportivos padronizados para representar o Pará nas competições, além de um kit com a bandeira do Estado, camiseta e botom.

A carateca Daniela Tanaka é um exemplo do sucesso que o programa tem alcançado. Ela já conquistou dez medalhas de bronze e duas de ouro no Circuito Internacional de Karatê, realizado na Itália e na Grécia, e já soma mais de 60 medalhas de ouro ao longo dos cinco anos em que participa do programa. Outros bons exemplos são os da equipe paralímpica de basquete All Star Rodas e as gêmeas do nado sincronizado, Natália e Natasha Pereira, que vem conseguindo resultados expressivos em todas as competiçoes de que participam.

"Dá um orgulho enorme ver estes talentos do nosso estado e atestar a capacidade de superação, dedicação e amor pelo esporte que eles demonstram, apesar de todas as dificuldades que enfrentam", destacou Helenilson Pontes. A meta da Seel é atender 190 novos atletas por meio do programa em 2014, e outros 250 até 2015.

Liandro Brito - Ascom/Seel