Ginásios padrão ouro

 

Belém e Santarém contarão, em breve, com grandes ginásios para eventos esportivos e culturais, abrindo a possibilidade do Estado receber competições nacionais e internacionais. Na próxima semana chegará na capital paraense um dos maiores guindastes do país. O equipamento vem de Manaus (AM), via balsa, e chega à capital paraense para içar o telhado do Ginásio Poliesportivo do Estádio Olímpico do Pará, localizado na rodovia Augusto Montenegro, uma iniciativa do governo do Estado, por meio das secretarias de Estado de Obras Públicas (Seop) e de Esporte e Lazer (Seel).

O guindaste fará o levantamento das cinco torres de aço que farão a sustentação do telhado. Após a colocação delas, começa o assentamento e fixação das telhas termoacústicas. O ginásio, que está em avançado estágio das obras, será do tipo multiuso, isto é, poderá receber qualquer tipo de evento esportivo, dentro dos padrões do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), além de ter espaço para shows e eventos culturais. A construção segue os padrões internacionais de infraestrutura e tem capacidade para mais de 12 mil expectadores sentados, incluindo espaço para cadeirantes. Além disso, para o conforto do público, a obra comporta um estacionamento com capacidade, inicialmente, para 224 vagas, além de bares, restaurantes, banheiros e dois elevadores.

Quando estiver pronto, o ginásio ocupará onze mil metros quadrados de área construída. Além disso, a arena é totalmente climatizada. O engenheiro responsável, Luiz Gomes Filho, explica que ao todo, são 500 operários em ação, e alguns deles são preparados unicamente para trabalhar na parte que irá receber o telhado. Por ser um local muito alto, além do rígido controle dos equipamentos de segurança usados, os operários passaram por exames médicos completos e têm um adicional de periculosidade, além de ter tido um treinamento específico para esse fim.

Luiz Gomes fala com entusiasmo sobre o futuro do Mangueirão e entorno. “É um projeto antigo o de dotar esta área de construções que beneficiem os atletas paraenses. O que teremos aqui é um ginásio no nível dos melhores do Brasil, com conforto, segurança e áreas de expansão, onde poderão ser implantados também centros de treinamento. Tudo está previsto no projeto, e temos certeza que isso será um grande incentivo a todos os atletas paraenses”, aposta Luiz Gomes.

Padrão - O Ginásio Poliesportivo do Estádio Olímpico do Pará segue o mesmo padrão arquitetônico do Mangueirão, mantendo a unidade visual do complexo inteiro, que tem ainda a previsão de construção de um parque aquático e quadras de treinamento.

Por ser um espaço multiuso, a obra terá ainda uma infraestrutura de apoio, com camarins, área exclusiva de acesso de autoridades e artistas, espaço de monitoramento do público e outros serviços. O piso da quadra é outro destaque, sendo do mesmo material que reduz impactos, usado em ginásios modernos no mundo inteiro. O placar eletrônico será de última geração, da marca Daktronics, com representação no Brasil. O equipamento segue o modelo, em forma circular, que é usado pelos ginásios da liga de basquete NBA, o que dará ao público uma completa visão dele de qualquer lugar do ginásio. Para Luiz Haroldo, as mudanças técnicas na obra se fizeram necessárias para o melhor aproveitamento do ginásio em toda a sua potencialidade. “O arquiteto que projetou o ginásio é o mesmo que projetou o Mangueirão, mas ele não se furtou de acatar nossas sugestões, quando mostramos que algumas mudanças poderiam ser feitas para melhorar os conceitos de arquibancadas, pisos e até do placar eletrônico do ginásio”, relembra Luiz Haroldo.

Lyoto Machida elogia ginásio e vê chance de disputar UFC em Belém - Reconhecido mundialmente, o atleta paraense Lyoto Machida, que integra o UFC, elogia a iniciativa para a construção do novo espaço. Para ele, o ginásio poderá colocar o Pará na rota dos grandes eventos que vêm sendo realizados no Brasil pela modalidade. "Várias cidades brasileiras já receberam eventos do UFC e com um ginásio desse porte, moderno, certamente Belém poderá sediá-los brevemente. Fico feliz em saber que contribuí para difundir o esporte no Estado e que o MMA cresceu bastante nos últimos anos”.

Lyoto diz que com grandes eventos de UFC, mais pessoas vão poder conhecer e se interessar não só para torcer, mas também começar a praticar e ajudando assim a revelar novos talentos na modalidade e que gostaria de lutar em Belém. “Sem dúvida é um sonho disputar um título na minha cidade, perto da minha família, dos amigos e da torcida paraense. Com o ginásio, esse sonho pode virar realidade", afirma Lyoto.

A Seel também está participando na assessoria técnica esportiva da construção do ginásio poliesportivo de Santarém e também na retomada das obras do estádio de futebol Colosso do Tapajós, naquela cidade da região oeste do Estado.

Obras do ginásio de Santarém já empolga atletas - O presidente da Associação de Basquete de Santarém, Joacy Nunes Pontes, está apostando em novos tempos no esporte para “A Pérola do Tapajós”. "Transformar Santarém em referência para todos os esportes de quadra e ajudar na formação de novos talentos regionais”, disse. Esse será o papel do ginásio poliesportivo de Santarém, que está sendo construído pelo Governo do Estado.

"Não é porque sou do basquete que vamos pensar sozinhos. Esse ginásio tem a mesma importância para outras modalidades de quadra, como futsal e vôlei. Vamos ter um espaço para organizar eventos regionais. Nossos colegas de outras cidades poderão participar e serão bem recebidos num espaço adequado e de alta qualidade. Será um celeiro para a formação de novos atletas e craques que permanecem escondidos por aí", avalia Joacy.

A obra do ginásio, com capacidade para de 5,1 mil pessoas, recebe investimento de R$ 10 milhões, e está em fase de construção das estruturas das arquibancadas e dos pilares da cobertura. Atualmente 115 homens realizam os trabalhos. "Estamos finalizando a estrutura das arquibancadas e dos pilares da cobertura", informou Diego Melli, engenheiro responsável pela obra.

Melli informa, ainda, que a cobertura do ginásio está sendo construída em Belém e que chegará pronta a Santarém para ser montada sobre o ginásio. A arquibancada terá cinco mil assentos individualizados, dando mais conforto a todos. Uma tribuna de autoridades também faz parte do projeto original, que prevê, ainda, a construção de palco. O terreno possui 21,5 mil metros quadrados no total, sendo 6,5 mil metros quadrados de área construída. A parte de fundação que necessitava de maior mão de obra e tempo já foi concluída.

A estrutura da praça esportiva terá duas amplas bilheterias; recepção; saguão de entrada; setor de apoio ao turista; duas lanchonetes; academia de ginástica e academia exclusiva para atletas; sala de juízes; estacionamento para 500 carros e um palco de 350 metros quadrados e três metros de altura, que poderá receber grandes shows.

O novo ginásio terá salas voltadas ao atendimento de segurança, saúde e projeto de acessibilidade, em conformidade aos critérios preestabelecidos pelo Ministério do Esporte (ME) e Secretaria Municipal da Juventude, Esporte e Lazer de Santarém (Semjel). A obra é de responsabilidade da Seop, com assessoria técnica da Seel.

 

Texto: Dedé Mesquita (Seel) e Alailson Muniz (Agência Pará)

Foto: Sidney Oliveira - Agência Pará