Ginásio poliesportivo está com 80% das obras concluídas

 

As obras do Ginásio Poliesportivo do Complexo do Estádio Olímpico do Pará entraram na reta final. Agora, a atenção se volta para o telhado, que está concluído em quase sua totalidade, faltando apenas pequenos detalhes. As telhas utilizadas são termo-acústicas, do tipo Roll-On, isto é, que absorvem o calor do sol completamente (foto acima).

As telhas começaram a ser colocadas entre os meses de outubro e novembro do ano passado, após um dos maiores guindastes do Brasil, vindo de Manaus (AM) via balsa, ter feito o serviço de içamento das vigas de aço de sustentação do telhado. São cinco vigas, sendo que a maior é a central, que tem 84 metros de comprimento, 2,40m de largura, 5,80m de altura e pesa 87 toneladas.

É nesta viga central que será fixado o placar eletrônico do ginásio, do mesmo modelo utilizado nos ginásios que recebem as partidas da NBA, nos Estados Unidos. O equipamento é de última geração, da marca Daktronics, com representação no Brasil e que segue o modelo, em forma circular, o que dará ao público uma completa visão de qualquer lugar do ginásio. Além disso, com câmeras espalhadas pelo ginásio, o público poderá rever os lances das partidas e participar de campanhas durante os eventos.

O ginásio é do tipo multiuso e poderá receber qualquer tipo de evento, incluindo shows. “A capacidade é de cerca de 12 mil pessoas sentadas em cadeiras anti-fogo, nas arquibancadas. Em shows ou lutas de MMA, a quadra poderá ser utilizada e assim ganharmos mais lugares”, informou o engenheiro responsável pela obra, Luiz Gomes Filho.

Internacional - A construção segue os padrões internacionais de infraestrutura e tem capacidade para 11.970 expectadores e 240 cadeirantes. Além disso, para o conforto do público, a obra comporta um estacionamento com capacidade para 224 vagas, além de bares, restaurantes, banheiros, dois elevadores e oito cabines de imprensa. O público terá à disposição 24 banheiros - oito para pessoas com deficiência -, além de quatro vestiários, sendo dois (masculino e feminino) também para paratletas.

O piso da quadra é o mesmo usado no mundo inteiro. O diretor do Departamento Técnico da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Luiz Haroldo Silva, esteve à frente das reuniões que definiram qual seria o piso ideal para o ginásio, sendo a opção pela marca Gerflor, a mesma usada em quadras de vários países, que usa uma capa chamada vinílica, com capacidade bem maior de receber impactos. 

A secretária de Estado de Esporte e Lazer, Renilce Nicodemos (na foto abaixo com o engenheiro Luiz Gomes), destacou que o ginásio não tem apenas finalidade esportiva, mas também será uma porta aberta a grandes eventos. “Nesta segunda-feira, tivemos uma reunião com o governador Simão Jatene e já começamos a pensar em uma estratégia para ‘vendermos’ eventos aqui no ginásio. Trabalhamos com uma previsão de entrega da obra em agosto deste ano e, no segundo semestre, já teremos grandes eventos neste espaço”, disse a secretária.

A obra, iniciada em junho de 2013, obteve recursos via empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). A construção é feita por um consórcio com três empresas. A obra é iniciativa do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e assessoramento técnico em parceria com a Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel). Ao todo, serão investidos R$ 94 milhões na obra.

Confira o vídeo sobre as obras do ginásio: www.youtube.com/watch

 

Texto: Dedé Mesquita- Ascom/Seel

Fotos: Eliseu Dias - Agência Pará de Notícias