Cerimônia abre os IV Jogos Tradicionais Indígenas em Marudá

As 15 etnias que participam dos IV Jogos Tradicionais Indígenas na praia de Marudá, em Marapanim, nordeste paraense, se reuniram no local para a tradicional cerimônia do Acendimento do Fogo Ancestral, que faz a evocação dos espíritos para que as competições ocorram dentro da normalidade e sejam abençoadas pelo Grande Espírito dos indígenas.

Os índios chegaram com suas vestimentas, adereços e muita alegria. Todas as delegações subiram ao palco e mostraram suas danças ritualísticas. Depois que todas as etnias estavam sobre o palco, começou a acendimento do fogo, que é feito da mesma forma artesanal, sem usar fósforos ou outro tipo de processo inflamável, usando o atrito de dois pedaços de madeira. Esse mesmo artefato já é usado há algum tempo pelos índios, sendo que a última vez foi na convenção Rio + 20, em 2012, no Rio de Janeiro.

O presidente do Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena, Marcos Terena, leu durante a cerimônia um telegrama que recebeu do presidente das Organizações das Nações Unidas (ONU) Ban Ki-moon, no qual Moon dá as boas vindas a todos os indígenas presentes na competição. “Sabemos que 15% do território brasileiro ainda é ocupado pelas etnias indígenas e isso é muito importante para a sustentabilidade e também para que a voz dos indígenas seja ouvida, assim como o coração da Terra”, disse no telegrama.

Após o acendimento do fogo ancestral (foto acima), o mesmo foi transferido para uma tocha que foi levada, de carro, para a sede do município de Marapanim pelo tri atleta Claiton Silva, que natural do município. A tocha retornou à praça de Marudá, depois de 30 minutos, e foi acesa a pira olímpica, que será transportada, nesta sexta-feira, dia 5, no final da tarde, quando ocorrerá a abertura oficial dos IV Jogos Tradicionais Indígenas.

Marcos Terena também enfatizou a simbologia do fogo para os indígenas. “Esse fogo ilumina o caminho dos povos, é transformador e quando necessário, ele também destrói. Mas isso é também renovação”, disse Terena.

Para a titular da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), Renilce Nicodemos Lobo, os Jogos Indígenas já são um sucesso. “Estamos muito satisfeitos e ter os Jogos aqui em Marudá. Estamos felizes de estar realizando-os, depois que os indígenas tanto pediram ao Governo do Pará para que ele retomasse esse importante evento que valoriza a cultura e tradição indígena. Esperamos um público de cerca de 50 mil pessoas nos seis do evento e temos certeza que vamos ter um sucesso muito grande”, disse Renilce.

Os IV Jogos Tradicionais Indígenas são uma promoção do Governo do Pará, por meio da Seel, e serão realizados até o dia 10 de setembro, com competições tradicionais indígenas na arena na praia de Marudá, e os esportes não tradicionais, como futebol, canoagem e natação, em distritos de Marapanim. Toda a programação é aberta ao público gratuitamente.

Texto: Dedé Mesquita – Ascom\Seel
Foto: Sidney Oliveira – Agência Pará de Notícias