Bruno Palheta conquistou medalha de ouro na Corrida de Belém

O paratleta, Bruno Palheta, 22 anos, conquistou a 1º colocação na Corrida de Belém, na categoria dos deficientes visuais. A prova reuniu mais de 3 mil participantes no último domingo, em Belém, com o percurso total de 10 quilômetros. Ele concluiu a prova em 41 minutos.

Bruno Palheta participa de provas de corrida de rua desde os 13 anos. Em 2013, ele marcou a trajetória nesta modalidade esportiva, conquistando boas classificações, como o primeiro colocado na Corrida dos Trabalhadores, o terceiro na Corrida de São Silvestre e o quarto na Meia Maratona do Rio de Janeiro. Para o futuro, ele tem como objetivo vencer a Corrida da Ponte, que será realizada em março deste ano, em Fortaleza, e disputar a Paralimpíadas do Rio 2016. “Fico muito feliz quando estou competindo e representando o Estado do Pará. Agora estou me dedicando para as próximas competições, a fim de conquistar uma ótima classificação”, afirmou o paratleta, durante visita ao Secretário de Estado de Esporte e Lazer, Vitor Miranda.

O paratleta contou que já veio ao mundo tendo que aprender a encarar desafios. Ele nasceu prematuro, e adquiriu a deficiência visual ainda na incubadora. “Desde criança aprendi a superar desafios que a vida impôs e, por isso, me identifiquei muito com a corrida de rua, pois preciso me superar sempre para dar bons resultados”, explica o paratleta.

Com resultados expressivos, Bruno conseguiu o apoio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer, por meio do programa Bolsa Talento, que ajuda nos treinos e viagens. “O Bolsa Talento é um projeto que incentiva os jovens esportistas de diversas categorias. Esse apoio é um estímulo, pois preciso superar várias barreiras para vencer”, explica.

Segundo o treinador Raimundo Vales, o apoio do Programa Bolsa Talento é essencial. “Sem essa parceria que a Seel desenvolveu, não seria possível participar de competições importantes em outros Estados. Além disso, esta iniciativa proporciona o nosso bem estar físico e mental para atuar com qualidade durante as provas”, revela.

“Cada paratleta é um exemplo de superação, e é partindo desta premissa, que pretendemos continuar dando o apoio necessário para que eles realizem os seus sonhos e disseminem o Pará pelo Brasil e mundo", ressalta o secretário da Seel, Vitor Miranda.

Luana Valente - Ascom/Seel