Baile das Flores reforça a autoestima das idosas do programa Vida Ativa da Seel

 

Ela é miudinha, o sorriso é imediato e é uma simpatia, mas quando se pergunta a ela qual é sua idade, ela, imediatamente diz: “Doze”. Dona Cacilda é especial, muito especial. Ela e outras 41 idosas, integrante do programa Vida Ativa na Terceira Idade da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), participam da oitava edição do Baile das Flores da secretaria, nesta quinta-feira, 22, das 17 às 22 horas, na sede social da Assembleia Paraense.

No dia do ensaio da festa das debutantes, na última terça-feira, 20, as idosas estavam em polvorosa e, como se espera delas, muito falantes. Além de ensaiar os passos da valsa e receberem instruções sobre como entrar no salão e se posicionar nele, elas também fizeram fotos que estarão no vídeo de apresentação delas. Por isso, batons, pós faciais, blush e escovas de cabelos foram sacadas e colocados em ação. Dona Cacilda também participou, mas ela quase não fala e observa a tudo. Cacilda da Fonseca, de 51 anos, é portadora de necessidade especial, e, tal como a maioria de suas colegas de baile, terá uma festa de debutante pela primeira vez.

O Governo do Estado, por meio da Seel, promove esse baile para as senhoras acima de 60 anos, como parte das atividades desenvolvidas pelo programa Vida Ativa na Terceira Idade nos seus nove núcleos espalhados por Belém e Icoaraci. A Seel investe para que essas idosas recuperem a saúde física e, principalmente, a mental, por meio de atividade que visam à elevação da autoestima delas.

Dona Cacilda não pode andar sozinha na rua, devido à deficiência. Não sabe apanhar transporte e não tem ideia de quantos anos tem. Ela é do município de Prainha, na região oeste do Pará, veio para Belém em 2006, e foi criada pela família da senhora Graciete Fonseca, de 67 anos, que a acompanha nas atividades. Dona Graciete conta que Cacilda já passou por maus momentos na vida. “Quando ela foi pra casa dos meus pais, ela tinha 14 anos, já tinha sofrido violência sexual e tido um filho. Meus pais sempre cuidaram dela e a criaram como filha deles. Mas ela acabava sofrendo nova violência e teve mais filhos, que ficaram com os pais ou com as famílias deles.

Quando meus pais morreram, ela pediu para vir morar comigo aqui em Belém”, conta Graciete.
Há alguns anos, o marido de dona Graciete morreu. As duas mulheres passaram a morar juntas e cuidam do filho de Graciete, de 41 anos, que também é especial. “Nós cuidamos uma da outra. Ela tem um cuidado muito grande comigo e com meu filho. Nós nos ajudamos bastante”, diz. Cacilda entrou no início deste ano para o programa Vida Ativa, levada pela amiga Graciete, no núcleo que funciona na sede da Associação dos Servidores da Assembleia Legislativa do Estado (Asalp), e gosta muito de ir ao local, que frequenta às quartas e sextas-feiras.

“A Cacilda é hipertensa, tinha uma dor num dos braços que a fazia reclamar muito. Hoje em dia, ela não se queixa de mais nada, e está muito feliz com a hidroginástica”, continua Graciete. “Mas do que ela gosta mesmo é de dançar. Vive dançando”, concluiu.

Ensaio - No dia do ensaio, entre tantas perguntas das debutantes, uma fez todos caírem na gargalhada. “Nós podemos beijar os cadetes?”, perguntou Ivete Santa Rosa, que vai completar 60 anos de idade, justamente no dia do baile, 22. Ivete é uma das mais falantes do grupo e quando perguntam o nome dela diz “Ivete, Ivete Sangalo”, e cai na risada.

A referência aos cadetes é que a valsa das debutantes será dançada com os aspirantes a marinheiro do Centro de Instrução Almirante Braz de Aguiar (Ciaba) que também vão conduzir as debutantes pelo salão. A animação do baile ficará a cargo da banda Tropa do Forró. As orientações foram repassadas às idosas pela coordenadora do projeto Vida Ativa da Seel, Kátia Rocha, que cuida de todos os detalhes do baile.

A noite também será para celebrar Joana Trindade Barbosa, que tem 77 anos e é a debutante mais velha do grupo. No dia de ensaio e das fotos, ela, classicamente, estava vestida com uma elegante blusa preta e usando um colar de pérolas. “A gente tem mais é que ficar bonita”, disse, sorrindo.

Serviço:

Baile das Flores do programa Vida Ativa na Terceira Idade da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), nesta quinta-feira, 22, das 17 às 22 horas, na sede social da Assembleia Paraense, na avenida Presidente Vargas, ao lado da praça da República, no Centro.

Dedé Mesquita - assessoria de imprensa da Seel