Índios começam a chegar a Marudá para os Jogos Tradicionais Indígenas

Os índios convidados Pataxó e Xerente foram as primeiras etnias a chegar para os IV Jogos Tradicionais Indígenas, que serão realizados na praia de Marudá, distrito de Marapanim, nordeste do Pará, a partir desta quinta-feira (4) até o dia 10 de setembro. Toda a programação é aberta ao público.

Os Pataxó são da região sul do Estado da Bahia. Eles viajaram dois dias e duas noites, com saída da aldeia na última segunda-feira, até chegar a Marudá, no alojamento que fica a quatro quilômetros da praia, em um ramal conhecido como “do Paixão”.O ônibus que transportou os índios também levou seus instrumentos musicais, artesanato, arcos, flechas e muitos cocares.

A delegação dos Pataxó é composta de 39 pessoas. Timbira Pataxó, 44 anos, juntamente com Jaguatirica, são os responsáveis pela delegação. “Fomos encarregados pelo cacique Zeca Pataxó a liderar nosso povo aqui nos jogos. Estamos muito agradecidos por isso. Sempre que participamos desse tipo de competição aqui no Pará somos bem recebidos, e estamos muito felizes de estar aqui”, disse Timbira.

“Nosso povo Pataxó é muito guerreiro. Fomos os primeiros a ter contato com os portugueses quando eles chegaram ao Brasil. Os outros povos que tiveram esse primeiro contato já foram extintos, mas conseguimos sobreviver e estamos aqui para contar e ser história”, acrescentou Timbira.

A etnia Pataxó é a mesma que recebeu a seleção alemã de futebol nos preparativos para a Copa do Mundo de Futebol 2014. Eles são um povo de muitas tradições, que tem a alegria como marca. Nesta quinta-feira (4), os Pataxó serão um dos principais elementos na cerimônia do Acendimento do Fogo Sagrado, na praça de Marudá, quando farão a evocação dos espíritos para que os jogos sejam abençoados e para que tudo corra bem. Essa cerimônia marca a parte religiosa do evento.

Festa – A outra etnia que chegou praticamente junto como os Pataxó foi a dos Xerente, oriunda do município de Tocantins, localizado no Estado homônimo. A delegação é composta de 34 integrantes, que viajaram cerca de 17 horas até chegar a Marudá.

Edson Xerente, 34 anos, é o responsável pela delegação. Dentro da oca destinada a eles, o barulho era grande por conta da conversa, em português e na língua nativa ao mesmo tempo. Edson disse que eles estão empolgados com a participação nos jogos. “Fomos convidados a fazer demonstrações da nossa cultura, mas queremos participar competindo também. Temos grandes atletas de futebol, e eu mesmo jogo no nosso time”, informou.

Os Xerente levaram para Marudá grandes toras de madeira, que estão sendo trabalhadas manualmente para fiquem em exposição na área destinada ao artesanato indígena que fica na orla do balneário.

Estrutura – Toda infraestrutura para os Jogos Indígenas já está pronta, recebendo apenas os retoques finais. Um dos espaços é a arena de competição com as arquibancadas com capacidade para três mil pessoas e uma área para 200 convidados.

O restaurante que fica ao lado do alojamento dos indígenas já está em plena atividade, e começou a funcionar nesta quarta-feira. A capacidade é para 700 pessoas, servindo café, almoço e jantar. A estrutura geral também conta com uma sala de imprensa com capacidade para 40 usuários, ao lado da arena. Tanto no alojamento, quanto na arena, há uma estrutura de saúde, equipada para primeiros-socorros, além de ambulâncias.

Na praia de Marudá, além da arena de competições, em quatro ocas estão um infocentro e cinemateca, uma para exposição fotográfica e exposição e venda de artesanato indígena, outra para oficinas – que serão ministradas pelo Projeto Biizu, da Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) – e o Fórum Indígena, e uma última para informações turísticas. A programação nas ocas e arena começa sempre às 15 horas e é gratuita.

A abertura oficial dos IV Jogos Tradicionais Indígenas é na sexta-feira (5), às 17 horas, na arena de competições montada na praia de Marudá, mas já pela manhã, nesse dia, haverá um congresso técnico, no qual as regras da competição serão discutidas e acertadas. Além das competições tradicionais na arena de Marudá, as partidas de futebol serão disputadas, a partir do sábado (6), no campo do Bacuriteua, na estrada da praia do Crispim, e nos estádio Araujão, e as competições de canoagem e natação, na localidade Vista Alegre, também em Marapanim, no dia 9.

Os IV Jogos Tradicionais Indígenas são uma promoção do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer (Seel), em parceria com o Comitê Intertribal Memória e Ciência Indígena, com patrocínio da Celpa e apoio de secretarias de Estado, além da Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa).

Dedé Mesquita – Ascom/ Seel
Foto: Ângela Gonzalez -  Ascom/ Seel